quarta-feira, 5 de janeiro de 2011

Santa Maria, Mãe de Deus


A comemoração de um ano novo mobiliza multidões, que se confraternizam e se alegram. É uma festa universal, animada pela esperança de renovação. Neste clima de alegria, celebramos o oitavo dia do grande acontecimento que transformou céus e terra: o nascimento de Jesus, comemorado através de sua mãe, Maria, invocada como Mãe de Deus. No Evangelho da missa de primeiro dia de janeiro, São Lucas ressalta sua atitude: “conserva todas essas palavras, meditando-as no seu coração.”

A Igreja proclama Maria, Mãe de Deus e mãe da humanidade, nossa Mãe. Maria Santíssima está ajoelhada diante do presépio do Filho de Deus. Ela nem tudo entende a respeito dos acontecimentos que invadiram a sua vida, mas ela guarda e medita tudo em seu coração.

Maria Santíssima examina os fatos e medita sobre eles. Essa atitude revela que a paz, e o desejo de toda a humanidade, brota de um coração que reflete sobre a vontade que vem de Deus. À semelhança da Santíssima Virgem, guardemos tudo no coração. Ela nos ensina a discernir a presença de Deus em nossa história e em nossa vida pessoal.

Alguns estudiosos dizem, com freqüência, que Nossa Senhora teria passado a São Lucas as informações básicas sobre o nascimento de Nosso Senhor Jesus Cristo. O Evangelista, entretanto, não faz dEla uma simples fonte de dados históricos, mas, sim, Aquela que sente a presença de Deus nos fatos miúdos da vida.

Sem dúvida, a expressão “conservar no coração” é sinônima de “interpretar a ação de Deus nos acontecimentos”, de acordo com o uso dessa expressão no Antigo Testamento.

A Virgem Maria é, portanto, modelo de pessoas que precisam discernir, em meio à turbulência dos acontecimentos da vida, a presença e a interferência de Deus. Infelizmente, em nossos dias muitos católicos são martirizados pela sua fé católica. O fundamentalismo religioso anti-católico quer impor a sua doutrina também no mundo ocidental, que se formou pela ação da Igreja Católica. Guardemos em nosso coração o exemplo de Maria Imaculada, rezando por esses confessores da Fé e saibamos pedir a sua doce intercessão, a fim de que possamos sentir que o Nosso Senhor continua olhando para nós com bons olhos e que podemos contar com sua bênção durante todo o ano que se inicia.

Que o objetivo do cristão, neste ano novo, seja que a paz consiga vencer o ódio e o egoísmo, que o amor de Cristo nos sustente e a proteção amorosa da Virgem Maria nos dê a segurança, particularmente, a graça de continuar podendo manifestar publicamente a nossa fé católica que não pode se curvar diante dos defensores de falsos direitos humanos, que querem impor a sua “pseudo-vontade”.

Fonte: Baseado em artigo de Dom Eurico dos Santos Veloso, Arcebispo emérito de Juiz de Fora, MG/ADF

Sem comentários:

Enviar um comentário

Seguidores

Acerca de mim

A minha foto

Alguém que procura um encontro com Jesus.

Arquivo do blogue

A minha Lista de blogues