sábado, 31 de julho de 2010

Dia de Santo Inácio de Loyola, Confessor


Nobre espanhol, converteu-se aos 30 anos de idade, depois de uma breve mas brilhante carreira nas armas, e fundou a Companhia de Jesus. Alma profundamente militar, quis dotar a Igreja de uma milícia nova, aguerrida e disciplinada, para a defesa da glória de Deus e a conquista das almas. No século em que o protestantismo arrebatou à verdadeira Religião um terço da Europa, Santo Inácio foi sem dúvida o lutador suscitado pela Providência para atender de modo pleno às necessidades da Igreja.

Extraído do livro: “Cada dia tem seu santo…”

sexta-feira, 30 de julho de 2010

Dia São Pedro Crisólogo, Bispo, Confessor e Doutor da Igreja


(+ Ímola, Itália, séc. V)
Bispo de Ravena, faleceu por volta do ano 450. Foi chamado Crisólogo, ou seja, palavra de ouro, devido a sua eloqüência e segurança de doutrina. Parece ter tido relacionamento muito íntimo com o Papa São Leão Magno. Negou-se terminantemente a apoiar o herege Êutiques, que fora condenado no Concílio de Constantinopla e pedira apoio ao bispo de Ravena. Conservam-se até hoje 176 sermões de São Pedro Crisólogo.

Extraído do livro: “Cada dia tem seu santo…”

quinta-feira, 29 de julho de 2010

A tempestade no mar - a seguir vem a bonança !

A Paz de Deus


Anualmente, havia um grande concurso dos maiores pintores do mundo. Selecionaram os três melhores e apresentaram a estes o tema: A PAZ DE DEUS. Os pintores teriam que expressá-lo da melhor forma possivel, para isso deram-lhe as melhores tintas, os melhores pincéis, as melhores telas. Enfim, era um grande campeonato.

O primeiro desenhou a praia, muitos pássaros,muitos coqueiros, uma paisagem onde todos gostariam de estar.

O segundo desenhou uma casa de campo belíssima e nessa casa tinha um terraço lindíssimo e nele um homem deitado sobre a rede bem sossegado.

O terceiro desenhou uma tempestade com raios, o mar bravio e muitas rochas e lá no meio um ninho de passarinhos e a mãe dando de comer aos seus filhotes, como se nada pudesse perturbá-la, em uma calma admirável.

(Livro: Histórias que Evangelizam – Gilberto Gomes Barbosa)

Qual das três pinturas representaram bem a Paz de Deus?
Nada abala uma alma que tem Deus no coração.

Vale a pena lembrar as aspirações de Santa Teresa:

“Nada te pertube, nada te espante.
Tudo passa, só Deus não muda.
A paciencia tudo alcança.
Quem tem a Deus, nada lhe falta.
Só Deus basta.”

Fonte: Blog Almas Castelos

terça-feira, 27 de julho de 2010

São Pantaleão, Mártir


(+ Nicomédia, Ásia Menor, séc. III)
Era médico e, tendo-se convertido à Religião católica, passou a operar curas milagrosas, com o que despertou inveja de médicos pagãos que o denunciaram ao imperador Maximiano. São Pantaleão, depois de sofrer tormentos vários, deu a vida por amor a Jesus Cristo.

Extraído do livro: “Cada dia tem seu santo…”

A principal doença é a falta de religiosidade


Depois de longa prática, um dos mais célebres psiquiatras contemporâneos, o Dr. J.G. Jung, chegou a esta convicção:

“De todos os meus doentes, escreve, que iá ultrapassaram a metade da vida, isto é, os trinta e cinco anos, não há um só cujo problema supremo não seja o religioso. Em última análise, estão doentes por terem perdido o que a religiosidade viva, dá aos seus seguidores em todos os tempos. Somente se curaram os que recuperaram as convicções religiosas”.

(A EUCARISTIA — Mons. Tihamer Toth)

segunda-feira, 26 de julho de 2010

Dia de São Joaquim e Santa Ana, Pais da Santíssima Virgem


É muito antiga a devoção a São Joaquim e Santa Ana, sobretudo no Oriente. A liturgia de São João Crisóstomo refere-se a eles como ‘os santos Avôs de Deus Joaquim e Ana’. Grande deve ter sido a santidade dos dois esposos, para que deles nascesse a Virgem Imaculada, a Mãe de Deus!
Ana e seu marido Joaquim já estavam com idade avançada e ainda não tinham filhos. O que, para os judeus de sua época, era quase um desgosto e uma vergonha, pois os judeus esperavam a chegada do messias, como previam as sagradas profecias. Toda esposa judia esperava que dela nascesse o Salvador e, para tanto, ela tinha de dispor das condições para servir de veículo aos desígnios de Deus, se assim ele o desejasse. Por isso a esterilidade causava sofrimento e vergonha e é nessa situação constrangedora que vivia o casal. Mas Santa Ana e São Joaquim rezaram por muito e muito tempo até que, quando já estavam quase perdendo a esperança, Ana concebeu.
No Evangelho, Jesus disse: ‘Pelos frutos conhecereis a árvore’. Assim, não são necessários outros elementos para descrever-lhes a santidade, senão pelo exemplo de santidade da filha Maria Santíssima. Afinal, Deus não escolheria filhos sem princípios ou dignidade para fazer deles o instrumento de sua ação.

A Santíssima Virgem, nascida no dia 8 de setembro, tirou de seus pais o peso de uma vida estéril e ainda recompensou-os pela fé, ao ser escolhida para ser a Mãe do Filho de Deus.

Santa Ana era comemorada em dias diferentes no Ocidente e no Oriente. Em 25 de julho, pelos gregos e no dia seguinte, pelos latinos. A partir de 1584, também são Joaquim passou a ser cultuado, no dia 20 de março. Em 1913 a Igreja determinou que os avós de Jesus Cristo deviam ser celebrados juntos, no dia 26 de julho.

Extraído: Fatima Online

domingo, 25 de julho de 2010

Dia de São Tiago o Maior, Apóstolo e Mártir


Era irmão de São João Evangelista e foi particularmente privilegiado entre os Apóstolos, pois esteve presente na Transfiguração de Nosso Senhor e na Agonia do Horto. Foi o primeiro dos doze Apóstolos a sofrer o martírio, no ano 44 de nossa Era. Seu sepulcro, em Compostela, norte da Espanha, é até hoje centro de peregrinação mundialmente famoso.

Extraído do livro: “Cada dia tem seu santo…”

sábado, 24 de julho de 2010

Os três pedidos de Alexandre Magno e de Bento XVI


2.330 anos depois, Bento XVI faz aos jovens outros três pedidos

Não sei se cada um de nós já pensou nos três últimos desejos que terá na hora da morte. Se não pensou, podemos, por enquanto, conhecer quais eram os de Alexandre Magno, por muitos considerado um dos grandes líderes da humanidade.

Nascido no dia 21 de Julho de 356, em Pella, e falecido com 33 anos, em 323, em Babilónia, o mais célebre conquistador do mundo antigo teve como preceptor o filósofo Aristóteles. Tornou-se rei da Macedónia aos vinte anos, após o assassinato de seu pai, Felipe. Não é preciso falar dos seus feitos militares: seria como deitar água no mar. Conquistou um império que ia dos Balcãs à Índia, o maior e mais rico da antiguidade. Na sua breve existência – e mais breve ainda carreira militar – não perdeu nenhuma batalha, a não ser a última, da vida. E quem o derrotou foi um insignificante mosquito, que o picou e lhe impingiu uma febre que o levou, em poucos dias, à sepultura.

Quando estava à beira da morte, Alexandre convocou os seus generais para lhes fazer três pedidos:

1. Que o seu caixão fosse transportado pelos melhores médicos da época.

2. Que todos os tesouros conquistados (ouro, prata, pedras preciosas, etc.) fossem espalhados ao longo do percurso, até ao seu túmulo.

3. Que as suas mãos fossem deixadas fora do caixão, à vista de todos, a balançar no ar.

Admirado com desejos tão esquisitos, um dos seus generais perguntou-lhe o que queria dizer com isso. Alexandre respondeu:

1. Quero que os médicos levem o meu caixão para demonstrar que eles não têm poder sobre a morte.

2. Quero que o chão seja coberto pelos meus tesouros para que todos entendam que os bens materiais aqui conquistados, aqui também ficam.

3. Quero que as minhas mãos abanem ao vento para que se veja que, de mãos vazias viemos ao mundo, e de mãos vazias partimos.

Aproximadamente 2.330 anos depois, no dia 18 de Julho de 2008, em Sydney, onde participava da Jornada Mundial da Juventude, Bento XVI pediu aos jovens que não se deixassem enganar por três falsos deuses, os mesmos que haviam sido detectados por Alexandre Magno, em 323:

«Independentemente do nome, da imagem ou da forma que lhes atribuímos, esses falsos deuses estão sempre ligados a três realidades:

os bens materiais, o amor possessivo e o poder.

Detendo-se sobre cada um deles, o Papa começou pelos bens materiais: «Não poderíamos sobreviver por muito tempo sem dinheiro, sem vestuário, sem alimento, sem uma casa. Mas, se formos glutões, se recusarmos partilhar o que temos com o faminto e o pobre, transformaremos esses bens numa falsa divindade. Quantas vozes se levantam na nossa sociedade materialista dizendo-nos que a felicidade consiste em acumular a maior quantidade possível de bens e de objectos de luxo! Mas isso significa transformar os bens em falsas divindades. Ao invés de nos trazer a vida, eles levam-nos à morte».

«Quanto ao amor - é certamente algo bom. Ele plenifica as nossas carências mais profundas e, sem ele, a vida não seria digna de ser vivida. Todavia, pode-se facilmente transformar numa falsa divindade. Quantas pessoas pensam que amam, quando, na verdade, nada fazem senão manipular o outro, como se fosse um objecto para satisfazer as próprias necessidades! É fácil deixar-se enganar por tantas vozes que defendem um uso permissivo da sexualidade, sem qualquer consideração pela modéstia, pelo respeito de si mesmo e pelos valores morais que conferem qualidade às relações humanas!».

Por fim, referindo-se ao poder, o Papa vê-o como um dom «dado por Deus para plasmar o mundo que nos rodeia. Utilizado de modo apropriado e responsável, ele permite-nos transformar a vida das pessoas. Todas as comunidades precisam de guias capacitados. Como é forte, porém, a tentação de se agarrar a ele para dominar os outros e explorar o ambiente natural, sujeitando-os aos interesses egoístas de cada um!».

Como aconteceu a Alexandre Magno – infelizmente, só na hora da morte – também para Bento XVI «o culto dos bens materiais, do amor possessivo e do poder leva as pessoas a comportar-se como se fossem Deus: pretendem o controle total, sem qualquer consideração pela sabedoria ou pelos mandamentos que Deus nos deu. É um caminho que leva à morte. Pelo contrário, adorar o único Deus verdadeiro significa reconhecer nele a fonte de tudo o que é bem, confiando-nos a Ele, abrindo-nos à força regeneradora de sua graça e obedecendo a seus mandamentos: este é o caminho de quem escolhe a vida».
fonte: JAM

sexta-feira, 23 de julho de 2010

quinta-feira, 22 de julho de 2010

Dia de Santa Maria Madalena, Penitente


(+ séc. I)
Arrependida sinceramente de suas faltas passadas, esteve ao lado de Nossa Senhora aos pés da Cruz, no alto do Calvário. Mereceu a graça de ser a primeira a reconhecer Nosso Senhor no Domingo de Aleluia e anunciou ao Apóstolos a Ressurreição. Segundo antiga tradição, foi morrer no sul da França, com seus irmãos São Lázaro e Santa Marta

Extraído do livro: “Cada dia tem seu santo

O amor de Deus e Sua vontade devem pautar nossa conduta


Um verdadeiro cristão, mas sobretudo um cristão associado à devoção ao Sagrado Coração de Jesus, deve ter por princípio e por fundamento de sua conduta e de todas suas acções, o amor de Deus, e por regra a vontade de Deus.

É assim que venceu Jesus Cristo Nosso Senhor, e depois dEle todos os santos e todos os eleitos, e é assim que nos asseguraremos como eles nossa salvação e nossa predestinação.

Cada dia que um cristão passa sobre a terra é um resumo de sua vida; e é conforme ele tenha empregado bem ou mal as pequenas porções do tempo que Deus lhe dá, que seu julgamento será feliz ou funesto; e como, na qualidade de filho de Deus e membro de Jesus Cristo, ele deve honrar, glorificar e servir a Deus, ele está obrigado a esforçar-se de fazê-lo de maneira digna de Deus.

Extraído do livro: O Sagrado Coração de Jesus

quarta-feira, 21 de julho de 2010

Oração pedindo as virtudes de Maria


Outros Vos peçam, ó Mãe de misericórdia, o que quiserem, saúde, bens e proveitos temporais; quanto a mim, ó Maria, venho pedir-Vos coisas mais conformes aos vossos desejos e mais agradáveis ao vosso santíssimo Coração.

Éreis tão humilde nesta terra, alcançai-me então a humildade e o amor dos desprezos. Éreis tão paciente nas penas; alcançai-me a paciência nas contrariedades. Éreis tão amante de Deus; alcançai-me o dom do santo e puro amor.

Éreis toda caridade para com o próximo; alcançai-me a caridade para com todos, principalmente para com os meu inimigos. Éreis sempre unida à vontade de Deus; alcançai-me uma inteira conformidade com as disposições da Providência.

Numa palavra, Vós que sois a mais santa das criaturas, ó Maria, tronai-me santo. Não é o amor que Vos falta: podeis e já quereis conceder-me todos os bens; só uma coisa pode me impedir de receber as vossas graças; é a minha negligência em Vos invocar, ou a minha pouca confiança na Vossa intercessão, mas a Vós toca obter-me a fidelidade em Vos implorar e a confiança nas vossas orações.

São essas as duas graças que Vos peço sobre todas, e espero firmemente obtê-las de Vós, ó Maria, minha Mãe, minha esperança, meu amor, minha vida, meu refúgio, meu socorro e minha consolação! Assim seja.

Extraído do livro: “As mais belas orações a Nossa Senhora”.

terça-feira, 20 de julho de 2010

Adoração, Reparação, Maternidade Espiritual


Beata Alexandrina Maria da Costa (1904-1955)
Também um exemplo de vida como a de Alexandrina da Costa, beatificada em 25 de Abril de 2004, demonstra de maneira impressionante a força transformadora e os efeitos visíveis do sacrifício de uma jovem doente e abandonada. Em 1941 Alexandrina escreveu ao seu pai espiritual, P. Mariano Pinho, que Jesus se havia dirigido a ela com estas palavras: “Minha filha, em Lisboa vive um sacerdote que corre o risco de se condenar eternamente; ele me ofende de maneira grave. Chama o teu padre espiritual e pede-lhe a autorização para que eu te faça sofrer particularmente, durante a paixão, por aquela alma”.
Recebida a licença, Alexandrina sofreu muitíssimo. Sentia o peso dos pecados daquele sacerdote, que não queria saber de Deus e estava prestes a peder-se. Ela vivia no seu corpo o estado infernal em que se encontrava o sacerdote e suplicava: “Não, no inferno não! Ofereço-me em holocausto por ele até quando Tu quiseres”. Ela chegou a ouvir o nome e o sobrenome do sacerdote.
P. Pinho quis então indagar junto ao cardeal de Lisboa para saber se naquele momento algum sacerdote lhe estivesse dando muitos desgostos. O cardeal confirmou com sinceridade que de facto havia um sacerdote que o preocupava; o nome que pronunciou era exactamente o mesmo que Jesus dissera à Alexandrina.´

Alguns meses mais tarde foi referido ao P. Pinho, por parte de um amigo sacerdote, Padre David Novais, um evento especial. O Padre David acabara de dar um curso de exercícios espirituais em Fátima, ao qual também havia participado um senhor muito discreto que todos haviam notado pelo seu comportamento exemplar. Este homem, no último dia dos exercícios, sofreu um ataque de coração; foi chamado um sacerdote e ele pôde confessar-se e receber a Comunhão. Pouco depois falecia, reconciliado com Deus. Descobriu-se que aquele senhor, vestindo roupas leigas, era um sacerdote e era exactamente aquele pelo qual Alexandrina tanto havia lutado.

Dia de Santo Elias, Profeta


(+ séc. IX A.C.)
Ardente de zelo pelo Senhor Deus, cujo culto era conspurcado em Israel pelos idólatras, Santo Elias não hesitou em degolar 450 sacerdotes de Baal. É considerado pai espiritual da Ordem carmelitana e precursor da devoção à Santíssima Virgem séculos antes de Ela ter nascido (ver 16 de julho). Estava em companhia de Santo Eliseu, seu discípulo perfeito e continuador, quando um carro de fogo, puxado por cavalos também de fogo, o arrebatou aos céus. Deverá voltar no fim do mundo para enfrentar o Anticristo.

Extraído do livro: “Cada dia tem seu santo…”

segunda-feira, 19 de julho de 2010

Dia de Santo Arsénio, Confessor


(+ Egito, 445)
Romano, de família nobrfe. Viveu 50 anos no deserto, como anacoreta. Amava o isolamento e temia os perigos do convívio com pessoas mundanas. Certa vez, em sua solidão, foi visitado por uma senhora romana de idade já madura, que desejava aconselhar-se com ele e pedir-lhe orações. — “Volte para sua terra e deixe-me em paz!”, gritou o Santo do fundo de sua gruta. — “Prometa-me ao menos lembrar-se de mim em suas orações”, suplicou a dama. — “Pelo contrário, prometo esquecê-la”, respondeu o Santo…

Extraído do livro – Cada dia tem seu santo… de A de França Andrade

domingo, 18 de julho de 2010

Dia de São Frederico, Bispo e Mártir


(+ Holanda, 838)
Bispo de Utrecht, na Holanda, esforçou-se para eliminar os restos de paganismo e idolatria ainda existentes na região. Censurou publicamente os escândalos dados pela imperatriz Judite, segunda esposa do imperador Luís, o Bonacheirão. Consta ter sido ela que, rancorosa, encarregou dois assassinos de apunhalar São Frederico.

Extraído do livro – Cada dia tem seu santo… de A de França Andrade

A caixinha com os olhos


O Rei Ricardo da Inglaterra, indo ao convento de Santo Emblay para entregar uma filha sua, enamorou-se de uma monja.

Enviou-lhe muitos presentes e jóias, com a pretensão de vencer sua vontade. Mas como ela não se submetia, mandou avisar a abadessa que a entregasse, sob pena de destruir o convento.

Enviou então uns homens, para que a trouxessem à força. Quando os homens chegaram ao mosteiro, ela lhes perguntou por que o príncipe se havia enamorado dela mais do que das outras monjas.

Eles lhe responderam que era por causa da grande beleza de seus olhos. Ela então, com decisão, arrancou os próprios olhos, dizendo aos homens:

“Soldados, levem os meus olhos, já que por eles o rei se enamorou. E deixem a mim, pois amo menos os meus olhos do que minha alma”.

E em uma caixinha ela os mandou ao Rei. Envergonhado, este dirigiu-se ao mosteiro, para pedir perdão. Pôs a caixa com os olhos sobre o altar da Virgem, dizendo-lhe que não se iria embora até que os restituísse à santa monja.

O milagre se fez, e a Virgem restituiu à monja os olhos mais formosos do que antes, fazendo-se o Rei devoto de Maria e protetor do mosteiro.

Fonte: Orações e milagres medievais

sábado, 17 de julho de 2010


Sirlei
Cortesia de uma amiga

DEUS AMA-TE

As palavras que vai ler são verdade. Elas mudarão a sua vida se você deixar. Pois vêm do coração de Deus. Ele ama-o. Ele é o Pai que tem procurado durante toda a sua vida. Esta é a Sua carta de amor para si . Meu Filho,
Tu podes não me conhecer, porém eu sei tudo sobre ti (Salmo 139:1)
Eu sei quando te assentas e quando te levantas (Salmo 139.2)
Eu conheço todos os teus caminhos (Salmo 139.3)
Até os cabelos da tua cabeça estão todos contados (Mateus 10.29-31)
Pois tu foste feito à minha imagem (Génesis 1.27)
Em mim tu vives e te moves, e tens existência (Actos 17.28)
Pois tu és a minha descendência (Actos 17.28)
Eu já te conhecia mesmo antes de seres concebido (Jeremias 1.4-5)
Eu te escolhi quando ainda planeava a criação (Efésios 1.11-12)
Tu não és um erro (Salmo 139.15)
Pois todos os teus dias foram escritos no meu livro (Salmos 139.16)
Eu determinei a hora exacta do teu nascimento e onde deverias viver (Actos 17.26)
Tu foste feito de forma admirável e maravilhosa (Salmo 139.14)
Eu te formei no ventre de tua mãe (Salmo 139.13)
E te trouxe à luz no dia em que nasceste (Salmo 71.6)
Eu tenho sido mal interpretado por aqueles que não me conhecem (João 8.41-44)
Eu não estou distante nem zangado, mas sou a completa expressão de amor (I João 4.16)
E é meu desejo derramar meu amor sobre ti (I João 3.1)
Simplesmente porque tu és meu filho, e eu sou o teu Pai (I João 3.1)
Eu te ofereço mais do que o teu pai terrestre jamais poderia oferecer (Mateus 7.11)
Pois eu sou o Pai Perfeito (Mateus 5.48)
Cada boa dádiva que recebes vem da minha mão (Tiago 1.17)
Pois eu sou o teu provedor e cuido de todas as tuas necessidades (Mateus 6.31-33)
O meu plano para o teu futuro sempre foi cheio de esperança (Jeremias29.11)
Porque eu te amo com um amor eterno (Jeremias 31.3)
Os meus pensamentos para contigo são incontáveis, como a areia da praia (Salmo 139.17-18)
E eu me regozijo em ti com cânticos (Sofonias 3.17)
Eu nunca deixarei de te fazer o bem (Jeremias 32.40)
Pois tu és o meu tesouro precioso (Êxodo 19.5)
Eu desejo te estabelecer com todo meu coração e toda minha alma (Jeremias 32.41-42)
Posso revelar-te coisas grandes e maravilhosas (Jeremias 33.3)
Se me buscares de todo o teu coração, me encontrarás (Deuteronómio 4.29)
Deleita-te em mim e eu te darei os desejos do teu coração (Salmo 37.4)
Pois sou eu quem colocou em ti esse desejo de me agradar (Filipenses 2.13)
Eu sou capaz de fazer mais por ti do que jamais poderias imaginar (Efésios 3.20)
Pois eu sou a tua maior fonte de encorajamento (II Tessalonicenses 2.16-17)
Eu sou também o Pai que te consola em todas as tuas aflições (II Coríntios 1.3-5)
Quando estás quebrantado, eu estou próximo de ti (Salmo 34.18)
Como um pastor que leva um cordeiro, eu te tenho carregado junto ao meu coração (Isaías 40.11)
Um dia eu limparei toda a lágrima dos teus olhos (Apocalipse 21.3-4)
E tirarei toda a dor que tens sofrido nesta terra (Apocalipse 21.4)
Eu sou o teu Pai e te amo, tal como amo o meu filho Jesus (João 17.23)
Pois em Jesus foi revelado o meu amor por ti (João 17.26)
Ele é a representação exacta do meu ser (Hebreus 1.3)
Ele veio para demonstrar que eu sou por ti e não contra ti (Romanos 8.31)
E para dizer que eu não estou a levar em conta os teus pecados (II Coríntios 5.18-19)
Jesus morreu para que tu e Eu pudéssemos ser reconciliados (II Coríntios 5.18-19)
A sua morte foi a expressão suprema do meu amor por ti (I João 4.10)
Eu entreguei tudo o que amava para poder ganhar o teu amor (Romanos 8.32)
Se receberes a dádiva do meu filho Jesus, recebes-me a mim (I João 2.23)
E nada jamais poderá te separar do meu amor (Romanos 8.38-39)
Vem para casa e haverá grande alegria no céu! (Lucas 15.7)
Eu sempre fui Pai, e sempre serei Pai (Efésios 3.14-15)
A minha pergunta é: Queres ser meu filho(João 1.12-13)
Estou à tua espera (Lucas 15.11-32)

Com amor, do teu Pai

Deus Todo-Poderoso

sexta-feira, 16 de julho de 2010

16 de julho – Dia de Nossa Senhora do Carmo


Neste dia se comemora a Festa de Nossa Senhora do Carmo, ou Monte Carmelo. A Ordem carmelitana considera seus fundadores o Profeta Santo Elias – que viveu no Monte Carmelo, na Terra Santa, e que séculos antes da vinda ao mundo de Nosso Senhor já vira sua Santa Mãe simbolizada numa nuvenzinha – e seu discípulo Santo Eliseu. O Escapulário de Nossa Senhora do Carmo, dado pela Santíssima Virgem a São Simão Stock no século XIII da Era Cristã, é ao mesmo tempo privilégio maior e o sinal distintivo da espiritualidade carmelitana.

Extraído do livro – Cada dia tem seu santo

quinta-feira, 15 de julho de 2010

Pílula abortiva (RU 486): um delito solitário


prof. Giuseppe Noia*
Um dos teoremas mais difundidos e radicados no mundo médico e na cultura popular é de pensar que o aborto voluntário possa ser menos traumático quando praticado nas primeiras semanas de gravidez, submetendo assim a prática do aborto ao critério da “proporcionalidade traumática”: quanto menor for o embrião, mais seguro e mais aceitável é o aborto, com menores consequências para a mulher.
Assistimos, ao longo das últimas duas décadas, também no campo dos exames pré-natais, a uma corrida vertiginosa pelo diagnóstico antecipado: biópsia dos vilos corais (10-12 semanas) em substituição à amniocentese, a análise do líquido retronucal, a coleta tríplice; expressões de uma postura de antecipação que culmina na “síndrome do feto perfeito”.
Tal síndrome não está descrita nos manuais médicos, mas hoje é já conhecida por todos: é caracterizada pela necessidade compulsiva de exames diagnósticos cada vez mais precoces; é o “teorema da proporcionalidade traumática” aplicado, a idéia de que o diagnóstico precoce de uma anomalia possibilite uma decisão mais precoce e, em caso de má-formação, uma opção pelo aborto menos traumática do ponto de vista físico e psíquico.
É obvio que, do ponto de vista fisiológico, a interrupção precoce de uma gravidez envolve riscos menores. Mas quando falamos de seres humanos, a segurança não pode ser avaliada unicamente com base em critérios fisiológicos ou biológicos: a saúde psíquica da mulher é reconhecida por todos como sendo de extrema importância, e pela sua salvaguarda invoca-se o direito à interrupção de uma gravidez após os 90 dias.
Pergunto-me então: como se pode ainda aceitar, em especial no âmbito da prática médica, o conceito de “proporcionalidade traumática” quando toda a literatura científica evidencia os conflitos psicológicos pós-abortivos, quando a elaboração do luto (mesmo de abortos precoces e espontâneos) é causa de depressão e angústias profundas, de perda de libido, de infertilidade e até perda da capacidade de engravidar novamente, quando em nossos estudos as mulheres nos confidenciam que o sentimento de perda de um filho não é proporcional ao seu peso em gramas ou seu tamanho em centímetros?
O grau de sofrimento experimentado pelas mulheres após um aborto, com efeito, nada mais é que a demonstração empírica de uma evidência profunda que o mundo médico se recusar a enxergar, ou da qual não avalia a real gravidade: que se pode interromper uma gravidez biológica, mas não se pode eliminar a gravidez psíquica. Definitivamente, o vínculo com o próprio filho não é eliminado com a eliminação do embrião

A pílula RU486 reduz a prática abortiva a uma mera questão de precocidade e segurança, promovendo uma concepção de aborto “faça-você-mesma”; um aborto privado, por mais seguro que possa ser (na verdade, em 13% dos casos faz-se necessária uma intervenção cirúrgica para evacuação do feto), soma solidão a solidão. Enquanto num aborto cirúrgico a interrupção da gravidez é delegada a um terceiro, no aborto químico com a RU468 é a mãe quem administra o veneno que matará seu próprio filho.
Os efeitos fisiológicos são semelhantes aos de um aborto cirúrgico executado com anestesia: contrações, expulsão do feto e dos restos placentários, hemorragia; mas com a RU468, a mulher enfrenta isso tudo sozinha, sem qualquer assistência – e o máximo da responsabilidade psicológica!
Destaco estas profundas contradições científicas, éticas e humanas num momento em que se promove o uso extensivo do aborto farmacológico na sociedade italiana, já duramente atingida por um mal-estar que evidencia, a cada dia com mais frequência, doenças da alma e da psique, das quais, lamentavelmente, os protagonistas são muitas vezes mãe e filho – díade preciosa que a cultura pseudo-científica parece querer separar e dividir.
*Giuseppe Noia é professor de ginecologia, obstetrícia e cirurgia fetal invasiva na Universidade Católica do Sagrado Coração de Roma. É autor de diversos livros e artigos, entre os quais “Terapias fetais invasivas” e “Terapias fetais”; é também co-autor de “O filho terminal”.

Fonte: Zenit/ADF

quarta-feira, 14 de julho de 2010

Um coração Igual ao Teu, Maria


Senhor, dá-me um coração enamorado
como o coração de Maria;
um coração generoso
como o coração de Maria;
um coração aberto à tua Palavra
como o coração de Maria.

Faz com que descubra cada vez mais
a riqueza insondável que és Tu,
e que ninguém conhece, como a Tua Mãe;
que descubra que só com um coração desprendido,
chegarei a pôr a minha confiança em ti,
como a pôs a tua Mãe.

Faz enfim, Senhor,
Que como para Maria,
Tu sejas a minha única riqueza, o meu único tesouro,
a minha única seiva, a minha única vida;
o meu sustento e alimento;
o meu bem e a minha alegria.

Pedro Muñoz Peñas
Publicada por Teresa
In blog: Vida Espiritual Católica

recados orkut


Dia de São Camilo de Lellis, Confessor


(+ Roma, 1614)
Pertencia a uma família nobre. Infelizmente não se portou bem no início da vida. Foi militar e revelou mau caráter, sendo expulso da tropa. Viciado em jogo, perdeu todos os bens e decaiu até à condição de mendigo. Nessa situação a graça o tocou. arrependeu-se profudamente de seus pecados e passou a servir, por espírito de caridade, aos doentes em hospitais. Fundou a Companhia dos Servidores dos Enfermos, conhecidos como Camilianos. Foi declarado por Leão XIII patrono dos enfermos e hospitais, juntamente com o português São João de Deus.

Extraído do livro – Cada dia tem seu santo

terça-feira, 13 de julho de 2010

Rezar faz bem ao coração


O cardiólogo americano, Dr. Mitchl W. Krucoff testou em doentes do coração se o rezar por eles podia ajudá-los. Um grupo de doentes sujeitou-se a uma terapia, com remédios normais, enquanto os nomes de outro grupo foram enviados a pessoas crentes de tudo o mundo: religiosas católicas, judeus, budistas… que incluíram esses enfermos nas suas orações.
Resultado: os doentes pelos quais se rezou não só se sentiram melhor, subjectivamente, mas os seus corações ficaram muito mais oxigenados.
Milagre? - “Chamem-lhe energia espiritual, ou divina, que eu não sei, diz o Dr. Krucoff. E além disso, não tem efeitos secundários negativos”.

Dia de Santo Henrique e Santa Cunegundes, Imperadores


(Alemanha, 1024 e 1033
Santo Henrique, duque da Baviera e imperador do Sacro Império. Modelo de governante católico, empenhou-se na propaganda da Fé, tendo papel de grande importância para a Conversão de seu cunhado Santo Estevão, rei da Hungria. Procurou restaurar, conforme a espiritualidade de Cluny, o espírito monástico então decadente, sendo nesse ponto aconselhado por Santo Odilon, abade de Cluny. Foi casado com Santa Cunegundes, vivendo ambos em perfeita continência. Depois do falecimento de Santo Henrique, ela foi continuar seus dias num mosteiro que havia fundado.

Extraído do livro – Cada dia tem seu santo

segunda-feira, 12 de julho de 2010

São João Gualberto, Confessor


( + Itália, 1073)
Pertencia a uma família nobre e considerou um dever vingar-se do assassino de seu irmão. Depois de o ter longamente procurado, foi encontrá-lo numa Sexta-feira Santa. Tocado pela graça, perdoou o inimigo e se fez de monge. Fundou em Vallombrosa um ramo novo da ordem de São Bento e combateu, pelo exemplo e pela pregação, a decadência do Clero de sua época.

Extraído do livro: “Cada dia tem seu santo”

domingo, 11 de julho de 2010

Dia de São Bento Abade, Confessor


(+ Montecassino, Itália, 547)
Nascido em Núrsia, Itália, ainda adolescente deixou sua nobre família e os estudos e se dirigiu para a solidão, a fim de viver no temor de Deus. Foi o fundador da Ordem beneditina, a qual desempenhou um papel fundamental na Idade Média, evangelizando e civilizando os pagãos, preservando, nos tempos piores das invasões bárbaras, o que havia de melhor na cultura e na ciência, fundando inúmeras nações. O humilde monge estava na raiz de uma obra civilizadora e evangelizadora colossal. O Papa Pio XII chamou-lhe, a justo título, “Pai da Europa”. Foi também chamado “Patriarca dos Monges do Ocidente”.

Extraído do livro: “Cada dia tem seu santo”

sábado, 10 de julho de 2010

POEMA


Como dizia o poeta...
Quem já passou por essa vida e não viveu
Pode ser mais, mas sabe menos do que eu
Porque a vida só se dá pra quem se deu
Pra quem amou, pra quem chorou, pra quem sofreu
Ah, quem nunca curtiu uma paixão nunca vai ter nada, não
Não há mal pior do que a descrença
Mesmo o amor que não compensa é melhor que a solidão
Abre os teus braços, meu irmão, deixa cair
Pra que somar se a gente pode dividir
Eu francamente já não quero nem saber
De quem não vai porque tem medo de sofrer
Ai de quem não rasga o coração, esse não vai ter perdão
Quem nunca curtiu uma paixão, nunca vai ter nada, não

Vinícius de Moraes

Sirlei
Cortesia de uma amiga

sexta-feira, 9 de julho de 2010

MEU JESUS EU VOS AMO !


Sinto-me só e com frio. Não. não é frio temperatura, é frio no meu coração, por ao fim do dia, não ter nada para Vos oferecer, pouco rezei e pouco fiz. Meu Pai tende por intercessão de Nossa Senhora, piedade de mim. Aceitai o pouco que tenho e aquecei o meu coração. Eu Vos Amo meu Deus e de igual modo amo a Vossa Bendita Mãe refúgio dos pecadores. Vinde Senhor e deixai que o Espirito Santo aqueça o meu coração, deixai que a Mãe do Céu o tome em Suas mãos e que o meu ajo da guarda me defenda de todo o mal. A minha Alma é Vossa Senhor, por ela morreste e por ela Vossa Máe padeceu e chorou a Vossa morte. Tudo o que sou e tudo o que tenho, nas Vossa Mãos o coloco. Que eu seja a sementinha lançada à Terra para germinar, dar flores e frutos. OH, Senhor, eu quero ser inteiramente vossa de corpo e alma, seguir-Vos como a ovelha segue o Pastor. Louvado seja Nosso Senhor Jesus Cristo e Sua Bendita Mãe, por todos os homens e pelos séculos dos séculos. Amém.

Dia de Beata Paulina do Coração Agonizante de Jesus, Virgem


Seu nome civil era Amábile Lúcia Visintainer. Nasceu no norte da Itália, em 1865, e com dez anos acompanhou seus pais, que emigraram para o Brasil e se instalaram no Estado de Santa Catarina. Fundou, com finalidades educativas e assistenciais, a Congregação das Irmãzinhas da Imaculada Conceição, da qual foi eleita superiora geral vitalícia. Anos depois, em São Paulo, para onde se havia transferido a casa-mãe da congregação, foi injusta e precipitadamente punida pelo arcebispo de São Paulo, que a demitiu das funções de superiora e a proibiu de, no futuro, exercer qualquer cargo de mando na Congregação. Aceitou com virtude heróica essa punição abusiva e irregular do ponto de vista do Direito Canônico, e passou mais de trinta anos como simples religiosa, modelo de obediência e humildade, sem nunca exercer qualquer função diretiva na obra da qual era fundadora. Faleceu pronunciando o que sempre foi o lema de sua vida: ” Faça-se a vontade de Deus!” Foi beatificada por João Paulo II, em 1991.

Extraído do livro: “Cada dia tem seu santo”

quinta-feira, 8 de julho de 2010

Dia de São Quiliano, Bispo e Mártir


Wurtzburg - Alemanha, 689)
Nascido na Irlanda, era monge e partiu como missionário para a Baviera, que então ainda era pagã. Foi bem acolhido pelo duque de Wurtzburg, que se dispôs a receber o baptismo, mas precisou antes regularizar sua situação conjugal, pois vivia maritalmente com a mulher de seu irmão. São Quiliano, depois de consultar o Papa, impôs que o duque despedisse a mulher, mas esta mandou assassinar o missionário e ocultar seu corpo. Devido a esse episódio, somente 50 anos mais tarde se deu, com São Bonifácio, a evangelização da Baviera.

Extraído do livro: “Cada dia tem seu santo”

quarta-feira, 7 de julho de 2010

Seguidores

Acerca de mim

A minha foto

Alguém que procura um encontro com Jesus.

Arquivo do blogue

A minha Lista de blogues