sábado, 31 de dezembro de 2011

Evangelho segundo S. Lucas 2,22-35.


Ao chegarem os dias da purificação, segundo a Lei de Moisés, Maria e José levaram Jesus a Jerusalém para O apresentarem ao Senhor,
conforme está escrito na Lei do Senhor: «Todo o primogénito varão será consagrado ao Senhor»
e para oferecerem em sacrifício, como se diz na Lei do Senhor, duas rolas ou duas pombas.
Ora, vivia em Jerusalém um homem chamado Simeão;era justo e piedoso e esperava a consolação de Israel. O Espírito Santo estava nele.
Tinha-lhe sido revelado pelo Espírito Santo que não morreria antes de ter visto o Messias do Senhor.
Impelido pelo Espírito, veio ao templo, quando os pais trouxeram o menino Jesus, a fim de cumprirem o que ordenava a Lei a seu respeito.
Simeão tomou-o nos braços e bendisse a Deus, dizendo:
«Agora, Senhor, segundo a tua palavra, deixarás ir em paz o teu servo,
porque meus olhos viram a Salvação
que ofereceste a todos os povos,
Luz para se revelar às nações e glória de Israel, teu povo.»
Seu pai e sua mãe estavam admirados com o que se dizia dele.
Simeão abençoou os e disse a Maria, sua mãe: «Este menino está aqui para queda e ressurgimento de muitos em Israel e para ser sinal de contradição;
uma espada trespassará a tua alma. Assim hão-de revelar-se os pensamentos de muitos corações.»

Da Bíblia Sagrada - Edição dos Franciscanos Capuchinhos - www.capuchinhos.org

segunda-feira, 26 de dezembro de 2011

domingo, 25 de dezembro de 2011

sábado, 24 de dezembro de 2011


Ouvi dizer que o Natal perdeu seu significado...
Que deu lugar ao consumismo,
Árvores de Natal
e Papai Noel

Mas eu prefiro lembrar que neste Natal,
Por conta dos empregos temporários,
Muitas pessoas puderam resgatar um pouco de sua dignidade.

E que por conta do dinheirinho extra que receberão
Muitos pais e mães de família poderão
Oferecer uma mesa mais farta aos seus filhos

Prefiro lembrar que
por conta das Campanhas de Solidariedade feitas nesta época
algumas crianças ganharão, sim, algum brinquedo.

E que você...
Você poderá dar Aquele Abraço nas pessoas que você gosta
Mas que “por falta de motivo” pra abraçar
Ficou contido até agora...

E, talvez, neste momento você perceba que,
Bem ou mal,
No Natal, o Amor está em toda parte!

Mas, se ainda assim, você não quiser celebrar nesta data
Não tem problema:
Quero te convidar a viver com o Espírito do Natal
Todos os teus dias!

quinta-feira, 22 de dezembro de 2011


Presépio


Prepare-se para o Natal, cantemos!

Glória in Excelsis Deo
(tradução)

Vinde todos à porfia
Cantar um hino de louvor
Hino de paz e alegria
Que os anjos cantam ao Senhor.

Refrão

Gloria in Excelsis Deo (bis)

Naquela noite venturosa
Em que nasceu o Salvador
Vozes de anjos harmoniosas
Lançam ao céu este clamo

Vovó, o que é NATAL?


A senhora, recostada em sua cadeira de balanço, com um vestido escuro que lhe chegava aos tornozelos, discretamente enfeitado com galões dourados, calma, aureolada por uma certa majestade, olhava penalizada para sua netinha.

A menina, de pé, com um vestidinho branco que ressaltava a inocência de sua fisionomia, apoiava as pequenas mãos sobre os joelhos da avó.

D. Rosália fora atingida em seu mais íntimo pela pergunta da netinha. Jamais, em seu remoto tempo de menina, tal pergunta teria sido possível. As crianças como que nasciam sabendo o que era o Natal. Todo o ambiente que as envolvia falava do Natal, boa parte do ano transcorria na expectativa da chegada daquela noite sagrada em que se comemora o nascimento de nosso Salvador. A noção de Natal era então, para uma criança, tão viva e conatural como a do ar que ela respirava.

Levada por tais cogitações, de repente se deu conta de que os olhos azuis e límpidos da netinha já a fitavam com ansiedade. Então, cheia de mansidão, começou a falar.

— “Minha filha, Natal é doçura, é paz. Natal é alegria inocente, é felicidade de dar, é o esquecimento de si mesma. Natal é amar, é adorar, é prostrar-se contente ante Deus. Natal é ternura por ver o pequeno, o frágil que se quer proteger; é admiração ante o grande e o forte que é mais do que nós, que se quer venerar.

“Natal é um ambiente em que os anjos, presentes, se fazem sentir sem se deixar ver. É um clima de bênçãos vindas do Céu que nos enche a alma e nos torna propensas a toda forma de bem. E o mal se recolhe em seus antros e covas, não suportando a luz.

“Natal é o presépio, montado na sala, com Nossa Senhora e o Menino Jesus, e também São José; com a estrela no alto da gruta brilhando e anunciando: Nasceu!; com o burrico e o boi, quase humanos, aquecendo o Menino em palhas deitado; com os pastores longe, envoltos em luz; com as fontes, os lagos, os montes e as flores que a imaginação pressurosa de cada fiel quer ver circundar o palácio — tão pobre! — do Rei.

“Natal é o pinheiro pequeno e esbelto, coberto de fitas, de luz e de cores.

“Natal é a Missa do Galo, assistida de noite na igreja, com flores e cantos, com música e luz, com festa, com suave alegria, com grande esplendor. Seguida da ceia para comemorar o nascimento do Menino Jesus.

“Natal é o presente envolto em carinho que a mãe dá ao filho; é o almoço em família com um pouco de vinho, com passas, com nozes e amêndoas, com grande união.

“Natal são os cânticos que elevam o espírito, e nos falam, sublimes e alegres, do Menino-Deus. É o sino tão belo que toca distante na igreja…

“Natal é sentir-se bem próximo, bem junto a Nossa Senhora e ao Menino Jesus; quiçá até Ela nos deixe tomá-Lo nos braços para O adorar.

“Natal, minha filha, é uma graça tão grande, tão grande, que foi dada ao mundo para termos, aqui nesta terra, um pouquinho do Céu. Tal graça nos veio porque há muito tempo, lá longe em Belém, cidade distante que você não conheceu, nasceu um Menino para nos salvar. Foi-nos dado, Ele é nosso, e entretanto é o Filho de Deus.

Sua mãe é Maria, também nossa mãe, que por nós O mereceu. Ela O desejou antes de Ele vir ao mundo, e por isso sua vinda ocorreu. Ela O amou tanto que ninguém sabe medir o grau desse amor entre os dois, e essa grande união! É um segredo de Maria, que Ela comunica a quem Ela quer. Mas há no Natal uma bênção que desce do Céu e faz sentir a todos os homens algo das graças dessa união”.

A menina estava literalmente embevecida com tudo quanto ouvira. Durante a narração, ela notara no timbre de voz harmonioso da avó, na sua expressão fisionômica radiosa, na elevação compassada de seus gestos e sobretudo em seu olhar cheio de doçura, de luz e de paz, ela sentira as graças do Natal.

Era 25 de dezembro de 2011. Naquela sala despretensiosa e digna, as graças do Natal haviam milagrosamente revivido!

— “Mas vovó, por que não há mais Natal?”

— “Minha filha, não se angustie, o Menino da gruta de Belém e sua Mãe Santíssima não nos abandonam jamais. Se os pecados dos homens e das nações fizeram com que as graças do Natal, escorraçadas por toda parte, se refugiassem no Céu ou nos fiéis desta Terra, é para que voltem ainda mais intensas e penetrem nas almas em profundidade ainda maior.

“Foi por meio de Nossa Senhora que nos veio o primeiro, o único, o grande, o eterno Natal, Nosso Senhor Jesus Cristo. Peçamos a Ela que as grandes graças que Ele ainda quer dar ao mundo nos futuros Natais, venham na sua plenitude, venham sem demora, minha filha!”

Enquanto a menina continuava transportada de enlevo, a avó leu compassadamente a passagem em que o Profeta Isaías, muitos séculos antes do magno acontecimento, descreve admiravelmente a vinda do Redentor do mundo:

“Este povo, que andava nas trevas, viu uma grande luz; aos que habitavam na região da sombra da morte nasceu-lhes o dia (…).“Porquanto um menino nasceu para nós, e um filho nos foi dado e foi posto o principado sobre o seu ombro; e será chamado Admirável, Conselheiro, Deus Forte, Pai do século futuro, Príncipe da paz. O seu império se estenderá cada vez mais e a paz não terá fim (..) fará isto o zelo do Senhor dos exércitos” (Is. 9, 1-7).

Transcrito do portal do Instituto Plinio Corrêa de Oliveira
Fonte:AASCJ

terça-feira, 20 de dezembro de 2011

Bom Natal até na Guerra


Mais um ano se passou. O noticiario mundial não é nada esperançoso. Crises em todos os setores da vida do homem. Os horizontes são prenunciadores de borrascas. E não só no mundo financeiro e politico, mas na esfera espiritual a coisa ainda é pior. Quando sairemos dessa situação penosa na qual se encontra o homem moderno?

Lembro-me com saudades de minha infância e das histórias que meu pai me contava: um episódio da primeira guerra mundial.

Por incrivel que pareça é uma história real. Em pleno campo de batalha, os alemães guerreavam contra os ingleses. Já era tarde da noite. De repente os tiros cessam e os ingleses veem surpreendidos os alemães sairem de suas trincheiras e caminharem calmamente cantando uma bela canção: Stille Nacht (Noite Feliz). Os trompetes acompanhavam as vozes tranquilas e alegres dos alemães. Era noite de Natal. Os ingleses olhavam desconfiados daquilo tudo. Mas os alemães cantavam e festejavam alegres.

Os ingleses inebriados com tal visão na noite natalina, também sairam de suas trincheiras e foram em direção aos alemães para confraternizar com eles essa Noite Santa. Se aproximaram aos poucos e logo estavam se cumprimentando, desejando bom natal. A Sacralidade da Noite Santa tomara conta do espírito dos soldados. Passaram a noite sentados à luz de uma fogueira, bebendo, cantando e conversando. Noite de Natal: o mundo reverencia e festeja a vinda do Menino Deus, Rei do Universo.

Lembranças das famílias, lembranças dos parentes, das festas natalinas, de suas infâncias e do Papai Noel, trazem lágrimas aos olhos dos soldados.

Assim vai a noite...

De manhã, se despedem, retornam às suas trincheiras e a guerra recomeça...
Outros tempos, outras épocas... quando a religiosidade enchia o coração dos homens. Anos mais tarde soube que era fato real ocorrido em 1914. No ano de 1999 foi colocada uma cruz no local para que servisse de lembrança desse fato tão significativo.

* * * * * * * * * * * *


Diante do présepio, ajoelhado diante do Menino Jesus, peço à Nossa Senhora e a São José que dêem a todos os meus amigos e amigas as boas graças de um Santo Natal e que no Ano Novo de 2012 Nosso Senhor Jesus Cristo reine em todos os corações.

Renovo aqui o ato de consagração deste Blog ao Sagrado Coração de Jesus:

Ó Cristo Jesus, eu Vos reconheço como Rei do Universo, sois o autor de toda a criação; exercei sobre mim todos os vossos direitos. Renovo as minhas promessas do batismo, renunciando a Satanás, suas pompas e suas obras; e de modo especial comprometo-me a lançar mão de todos os meios ao meu alcance para fazer triunfar os direitos de Deus e de vossa Igreja. Ó Sagrado Coração de Jesus, eu Vos ofereço minhas pobres ações para que os homens reconheçam a vossa Realeza Sagrada e o Reino de vossa paz se estabeleça por todo o universo. Amém.

FELIZ NATAL A TODOS E UM BOM ANO NOVO!

A foto acima é do presépio napolitano de Cicillo Matarazzo (1620 peças), do século XVIII, em exposição no Museu de Arte Sacra de São Paulo.

Fonte: Blog Almas Castelos (cortesia

segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

Como surgiu o “Santa Maria, rogai por nós”


Nossa Senhora e o Concilio de Éfeso

A história da Ordem do Carmo é cheia de riquezas. Seu fundador, Santo Elias, 400 anos antes de Nosso Senhor Jesus Cristo, já venerava a Mãe de Deus que iria nascer.

Afirmava São Epifânio que já na primeira metade do século IV, existia uma associação de mulheres cristãs que prestavam um culto a Maria Santíssima.Vemos na história quantos Santos tiveram grande devoção à Mãe de Deus, e que muitos a conheciam como Santa Maria.

Porém, foi depois do Concílio de Éfeso, realizado no ano de 431, por convocação do Papa Celestino I, que surgiu um culto litúrgico em honra à Mãe de Deus.

O Concílio de Éfeso foi convocado para combater as heresias do Pelagismo e Nestorismo, dirimindo equívocos sobre a Doutrina Cristã, ao mesmo tempo em que definia uma sublime prerrogativa de Maria e o seu verdadeiro posicionamento na economia da salvação, culminando por decretar o Dogma de SUA Maternidade Divina.

Os erros das heresias espalharam-se rapidamente, fazendo muitos adeptos como normalmente acontecia de início com todas as heresias. Mas esses erros que versavam sobre a Divindade de Jesus Cristo e a Maternidade de Sua Santa Mãe, foram logo e energicamente combatidos.

São Cirilo, Bispo de Alexandria, foi o Presidente do Concílio em Éfeso, que defendeu dignamente as verdades do cristianismo, contra as investidas herejas.

No dia do encerramento, após a leitura da sentença que condenava os heresiarcas, expressando o pensamento unânime de todos os presentes, foi lido o decreto do Dogma da Maternidade Divina de Maria Santíssima, proclamado e justificado com toda honra, para a maior Glória de Deus. O Papa São Celestino emocionado e com lágrimas nos olhos, ajoelhou-se e respeitosamente saudou-a assim:

“Santa Maria, Mãe de Deus, rogai por nós pecadores, agora e na hora de nossa morte. Amem”

Essa saudação de Sua Santidade, ficou sendo a segunda parte da AVE MARIA, que tem como primeira parte dois trechos. Um formado pelo cumprimento feito pelo Arcanjo São Gabriel a Maria, no dia da Anunciação, em Nazaré:

“Ave Maria, cheia de graça. O Senhor é convosco”.

O outro trecho é constituído pela frase pronunciada por Santa Isabel, prima de Maria, quando a Santíssima Virgem foi a Ain Karin para ajuda-la durante os três últimos meses de gravidez, do qual nasceu São João Batista. Disse Isabel:

“Bendita és tu entre as mulheres e bendito é o fruto de teu ventre”.

Fonte: “Pelos Caminhos do Amor” – Jusan F. Novaes – 1ª Edição – ano 1983 – Com Aprovação Eclesiástica./ADF

A estreita relação profética entre Fátima e o Tratado da Verdadeira Devoção à Santíssima Virgem


A mesma razão que levou o Inimigo de Deus a ter tamanho ódio deste pequeno livro (o Tratado da Verdadeira Devoção) e a escondê-lo durante 130 anos, fez com que a hierarquia da Igreja se sentisse pressionada a esconder o Terceiro Segredo de Fátima e apostasse no “aggiornamento” das doutrinas modernistas-progessistas do humanismo maçônico
Há um estreito e providencial elo de ligação entre a profecia de Fátima e o Tratado da Verdadeira Devoção à Santíssima Virgem, conforme propõe São Luis Maria Grignion de Montfort.

Na introdução do Tratado, diz São Luis: “Foi por meio da Santíssima Virgem que Jesus Cristo veio ao mundo e por meio dela que Ele deve reinar no mundo” (T.V.D. – 1). Todos sabemos que Jesus Cristo reinará no mundo, conforme Ele próprio assegurou, contudo, o “Reinado de Maria” será o meio pelo qual se dará o “Reinado de Jesus”.

E é exatamente em Fátima, a profecia do Céu para os nossos tempos, onde a Santíssima Virgem confirma claramente a profecia de São Luis Maria quando afirma: “Por fim Meu Imaculado Coração triunfará”.

E mais: a Mãe do Senhor indica claramente o meio pelo qual a Providência Divina estabeleceu para que aconteça este Triunfo: “Meu Filho quer estabelecer no mundo adevoção ao meu Imaculado Coração”.

Recapitulando as maternais solicitações da Santíssima Virgem em Fátima
Antes, porém, de nos aprofundarmos no sentido dessa “devoção” ao Imaculado Coração, que Jesus “quer estabelecer em todo o mundo”,

O Milagre do Sol foi o desfecho das aparições de Fátima aos três pastorinhos juntos. Este livro é imperdível. Leia e saiba detalhes impressionantes do dia em que o Sol girou em Fátima recordemos o que Nossa Senhora nos pediu em Fátima. Suas maternais solicitações foram as seguintes:

Rezar pelo menos um Terço todos os dias para obtenção da paz nas famílias e no mundo —lembrando que o Santo Rosário nos leva a contemplar os mistérios da vida, missão, morte e ressurreição de Nosso Senhor;
Usar o Escapulário castanho como sinal de prometida proteção contra as forças do mal que laboram para perder nossas almas;
Oferecer a Deus os nossos deveres de cada dia, como um ato de sacrifício e voluntária adesão pessoal ao supremo sacrifício de Cristo para a conversão dos pecadores;
Fazer os Cinco Primeiros Sábados, em reparação das ofensas cometidas contra o Seu Imaculado Coração, e assim, termos em mente que os nossos pecados ofendem gravemente a Deus;
Pediu também que o Santo Padre, em união com todos os Bispos do mundo, fizesse a Consagração da Rússia ao Seu Imaculado coração, prometendo que, deste modo, a Rússia se converteria e que seria concedido ao mundo algum tempo de Paz.
Sabemos que a consagração da Rússia não foi feita conforme a solicitação da Virgem (com o Papa unido a todos os Bispos do mundo) e muito menos a Rússia se converteu.

Fonte: Perfeita Devoção

sábado, 17 de dezembro de 2011

Santa Olímpia, viúva, diaconisa, +408


Pertencia à mais alta nobreza bizantina e casou ainda muito jovem com o prefeito de Constantinopla. Enviuvando aos 20 anos de idade, não quis contrair novo casamento, mas resolveu consagrar-se inteiramente a Deus, e utilizou sua imensa riqueza na fundação de um hospital e um orfanato, servidos por religiosas das quais ela era superiora. Quando João Crisóstomo, seu director espiritual, foi injustamente expulso do Patriarcado de Constantinopla, Olímpia continuou fiel a ele e recusou-se a reconhecer o intruso irregularmente nomeado para substituí-lo como patriarca. Foi por isso perseguida e a sua comunidade foi dispersada. Partiu para o exílio, onde morreu ainda jovem.

A via mais perfeita para Céu


Deus aguardou por séculos para vir até os homens redimi-los. Bem que Deus, sendo omnipotente poderia ter simplesmente aparecido na Terra; ou mesmo ter descido do Céu a vista de todos.

Deus também é imutável em Seus Atos, pois se fosse mutável significaria que o Primeiro Ato não seria o melhor e nem o mais perfeito.

No entanto o mundo era indigno de receber Deus Filho, diretamente de Deus Pai. Tantos são os pecados que afastam o homem de Deus que há uma escarpa infinita entre Deus e os homens, por que Deus é Bondade Infinita. Como seria então a vinda de Deus Filho até os homens?

Ocorre que Deus, além de Omnipotente é Sábio, ou melhor, Deus é a própria Sabedoria. Portanto tudo o que faz, não poderia ter sido feito de maneira diferente, ou mais Sábia.

Assim, para vir até os homens, Deus escolheu o Caminho mais Perfeito, mais Sábio, mais Misericordioso, para vir até os homens: Maria. Sim, Maria foi o Caminho mais Perfeito e Sábio que Deus escolheu para vir até os homens.

E nós homens? Somos puros o suficientes para nos dirigir diretamente a Deus? Seremos tão presunçosos a ponto de acharmos que, cheios de defeitos e imperfeições, seriamos dignos de nos aproximar diretamente até Deus? Ó homens orgulhosos...

Sejamos humildes para reconhecer nossas imperfeições e defeitos. Se Deus decidiu que deveria vir até nós por Maria, quem somos nós para pensarmos o contrário?

Iremos a Deus por Maria também, implorando Sua intercessão, pedindo perdão e humildemente, pois MARIA, definitivamente, é o Caminho mais Perfeito para chegar até Deus.

Ó Maria Concebida sem pecado, rogai por nós que recorremos a Vós.

Ela como uma Boa Mãe nossa e de Deus, saberá nos apresentar ao Seu Divino Filho com todo o respeito que a Ele é devido.


Fonte: Tratado da Verdadeira Devoção à Santíssima Virgem - São Luiz Maria Grignion de Montfort
Postado por Blog Almas Castelos às 21:30

sexta-feira, 16 de dezembro de 2011

Oração a Santa Luzia, protetora contra as doenças dos olhos


Ó Santa Luzia, que preferistes que vossos olhos fossem vazados e arrancados antes que renegar a sua fé e compuscar vossa alma; e Deus com um milagre extraordinário, vos devolveu dois olhos perfeitos para recompensar vossa virtude e vossa fé, e vos constituiu protetora contra as doenças dos olhos.

Eu recorro a vós para que protejais minha filha e cureis a doença de seus olhos.

Ó Santa Luzia conservai a luz dos meus olhos para que possa ver as belezas da criação o brilho do sol, o colorido das florestas e o sorriso das crianças.

Conservai também os olhos de minha alma, a fé , pela qual eu possa compreender seus ensinamentos, reconhecer o seu amor para comigo e nunca errar o caminho que me conduzirá onde vós Santa Luzia, vos encontrais , em companhia dos Anjos e Santos.

Santa Luzia, protegei meus olhos e conservai minha fé. Amém.

Fonte: O Poder da Oração

terça-feira, 13 de dezembro de 2011

sábado, 10 de dezembro de 2011

Lourdes e a Imaculada Conceição


Era cerca do meio dia de 11 de fevereiro de 1858, e, em Lourdes, uma menina de 14 anos, Bernadette Soubirous, andava com outras duas companheiras à procura de ramos secos, perto das rochas de Massabielle. As companheiras passaram a pé um pequeno canal, que conduz a água do rio Cave para um moinho; preparava-se Bernadette para as imitar, quando ouviu um forte ribombo.

Olhou em redor admirada, mas não viu coisa nenhuma. Inclinou-se para tirar os sapatos, mas um novo ribombo a sacudiu. Mais surpreendida ainda, ergueu-se e volveu o olhar para uma gruta vizinha, sobre um nicho aberto na rocha viva.

O nicho iluminou-se com resplendor celeste e uma beleza incomparável brilhou no meio desta luz em forma de graciosíssima Senhora, vestida com uma cândida veste, cingida por uma faixa azul e com a cabeça envolvida por um véu branco, que desenrolado, lhe cobria os ombros e descia ao longo de toda a pessoa. Com os pés, pousava ligeiramente sobre os ramos duma roseira selvática sem os fazer dobrar, e por cima de cada um deles florescia uma rosa de ouro. Um Rosário pendia-lhe das mãos devotamente unidas.

Depois desta, teve Bernadette outras dezessete vezes a mesma aparição. A 25 de março, a menina, que por várias vezes tinha perguntado à Senhora quem era, foi por ela atendida: Eu sou, respondeu a Senhora, a Imaculada Conceição.

A nascente da água que brotou a um gesto seu, a esplêndida basílica lá construída, os milhões de peregrinos que afluem a Lourdes são esplêndidas provas da verdade da palavra de Nossa Senhora. Os inumeráveis enfermos de toda a espécie (cegos, surdos, coxos, paralíticos, tuberculosos, etc.) que todos os anos se curam prodigiosamente com o uso da água de Lourdes, são o eco contínuo do grande privilégio: Maria é Imaculada na sua Conceição; são a aclamação ininterrupta às palavras: Eu sou a Imaculada Conceição.

sexta-feira, 9 de dezembro de 2011

Oração de Santo Afonso a Jesus chorando no presépio


Amado Menino, quando choráveis na gruta de Belém, pensáveis em mim. Tínheis ante os olhos todos os meus pecados; eles eram a causa de Vossas lágrimas. E eu, ó amado Jesus, em vez de Vos consolar pelo meu amor e reconhecimento, sabendo quanto sofrestes por me salvar, ainda aumentei a Vossa dor e a causa das Vossas lágrimas! Se menos houvera pecado, menos teríeis chorado. Ah! Chorai, sim chorai. Razão tendes para isto, pois vedes como os homens pagam com ingratidão o amor que lhes haveis testemunhado. Mas já que chorais, Senhor, chorai também por mim; as Vossas lágrimas são a minha esperança.

Choro também os desgostos com que à saciedade Vos amargurei, ó Redentor meu. Aborreço-os, detesto-os e deles me arrependo do todo o meu coração. Choro os desgraçados dias e tristes noites em que vivi na Vossa inimizade, na privação da Vossa divina graça. Mas de que me serviriam, sem as Vossas, todas as minhas lágrimas, por mais que fossem, ó meu Jesus. Eterno Pai, ofereço-Vos as lágrimas, concedei-me o perdão. E Vós, dulcíssimo Salvador meu, oferecei por mim todas as lágrimas que derramastes na Vossa vida e aplacai por este meio a justiça divina. Em nome destas lágrimas, peço-Vos também, enternecei o meu coração e inflamai-o no Vosso santo amor.

Ah! quem me dera no futuro poder consolar-Vos tanto pelo meu amor, quanto Vos contristei pelas minhas ofensas! Esforçai-me, Senhor, a que não empregue mais o restante de meus dias em Vos desagradar, mas somente em chorar os desgostos que Vos dei e amar-Vos com todos os afetos da minha alma.

Ó Maria, pela terna compaixão que tantas vezes experimentastes vendo chorar o Menino Jesus, peço-Vos impetrar-me dor contínua das ofensas que tive a ingratidão de Lhe fazer.

(AGENCIA BOA IMPRENSA, 20-01 de 1983, p. 4)

N.B.: Que espiritualidade diversa que Santo Afonso tinha, das pregadas e praticadas nos dias borrascosos de hoje! Ele nos demonstra o seu espírito de arrependimento e de desejo ardente de progredir nas virtudes, como devemos, se quisermos ser santos, isto é, salvar-nos.

quinta-feira, 8 de dezembro de 2011

LADAÍNHA DE NOSSA SENHORA


Senhor, tende piedade de nós,

Jesus Cristo, tende piedade de nós,

Senhor, tende piedade de nós,

Jesus Cristo ouvi-nos.

Jesus Cristo atendei-nos.

Deus Pai do Céu, - tende piedade de nós

Deus Filho, Redentor do mundo, - tende piedade de nós

Deus Espírito Santo, - tende piedade de nós

Santíssima Trindade, que sois um só Deus, - tende piedade de nós

Santa Maria, rogai por nós

Santa Mãe de Deus, rogai por nós

Santa Virgem das virgens, rogai por nós

Mãe de Jesus Cristo, rogai por nós

Mãe da divina graça, rogai por nós

Mãe puríssima, rogai por nós

Mãe castíssima, rogai por nós

Mãe Imaculada, rogai por nós

Mãe intacta, rogai por nós

Mãe amável, rogai por nós

Mãe admirável, rogai por nós

Mãe do bom conselho, rogai por nós

Mãe do Criador, rogai por nós

Mãe do Salvador, rogai por nós

Mãe da Igreja, rogai por nós

Virgem prudentíssima, rogai por nós

Virgem venerável, rogai por nós

Virgem louvável, rogai por nós

Virgem poderosa, rogai por nós

Virgem benigna, rogai por nós

Virgem fiel, rogai por nós

Espelho de justiça, rogai por nós

Sede da sabedoria, rogai por nós

Causa de nossa alegria, rogai por nós

Vaso espiritual, rogai por nós

Vaso honorífico, rogai por nós

Vaso insigne de devoção, rogai por nós

Rosa mística, rogai por nós

Torre de Davi, rogai por nós

Torre de marfim, rogai por nós

Casa de ouro, rogai por nós

Arca da aliança, rogai por nós

Porta do céu, rogai por nós

Estrela da manhã, rogai por nós

Saúde dos enfermos, rogai por nós

Refúgio dos pecadores, rogai por nós

Consoladora dos aflitos, rogai por nós

Auxílio dos cristãos, rogai por nós

Rainha dos anjos, rogai por nós

Rainha dos patriarcas, rogai por nós

Rainha dos profetas, rogai por nós

Rainha dos apóstolos, rogai por nós

Rainha dos mártires, rogai por nós

Rainha dos confessores, rogai por nós

Rainha as virgens, rogai por nós

Rainha de todos os santos, rogai por nós

Rainha concebida sem pecado original, rogai por nós

Rainha assunta ao céu, rogai por nós

Rainha do santo rosário, rogai por nós

Rainha da paz, rogai por nós

Cordeiro de Deus, que tirais o pecado do mundo, perdoai-nos, Senhor.

Cordeiro de Deus, que tirais o pecado do mundo, ouvi-nos, Senhor.

Cordeiro de Deus, que tirais o pecado do mundo, tende piedade de nós.

- Rogai por nós, Santa Mãe de Deus.

- Para que sejamos dignos das promessas de Cristo.

Oremos: Suplicantes vos rogamos, Senhor Deus, que concedais a vossos servos lograr perpétua saúde do corpo e da alma, e que, pela intercessão da bem-aventurada sempre Virgem Maria, sejamos livres da presente tristeza e gozemos da eterna alegria por Cristo Nosso Senhor. Amém.

Nota: Esta última parte evidencia as virtudes de Maria. Eleva também a dignidade do homem, lembrando a vinda do Filho de Deus à terra, fazendo-se semelhante aos homens, menos no pecado.

Pede-se também que Maria olhe e interceda por toda a humanidade.

"Cheia de graça", o nome mais belo de Maria


Bento XVI: «Cheia de graça», o nome mais belo de Maria

No dia 8 de Dezembro celebramos uma das festas mais belas e populares da bem-aventurada Virgem Maria: a Imaculada Conceição. Maria não só não cometeu pecado algum, como ficou preservada inclusive dessa comum herança do género humano q é a culpa original, por causa da missão a q Deus a havia destinado desde sempre: ser a Mãe do Redentor.
Tudo isto fica contido na verdade de fé da Imaculada Conceição. O fundamento bíblico deste dogma se encontra nas palavras que o anjo dirigiu à menina de Nazaré: «Alegra-te, cheia de graça, o Senhor está contigo» (Lc 1, 28). «Cheia de graça», é o nome mais belo de Maria, nome que o próprio Deus lhe deu para indicar que desde sempre e para sempre é a amada, a eleita, a escolhida para acolher o dom mais precioso, Jesus, «o amor encarnado de Deus» (Deus caritas est, 12).
Podemos perguntar-nos: por que entre todas as mulheres, Deus escolheu precisamente Maria de Nazaré? A resposta se esconde no mistério insondável da divina vontade. Contudo, há um motivo que o Evangelho destaca: sua humildade. A própria Virgem no «Magnificat», o seu cântico de louvor, diz isto: «Minha alma glorifica o Senhor... porque pôs os olhos na humildade da sua escrava» (Lc 1, 46.48). Sim, Deus sentiu-se preso pela humildade de Maria, que encontrou graça aos seus olhos (cf. Lc 1, 30). Converteu-se, deste modo, na Mãe de Deus, imagem e modelo da Igreja, eleita entre os povos para receber a bênção do Senhor e difundi-la entre toda a família humana. Esta «bênção» é o próprio Jesus Cristo. Ele é a fonte da «graça», da qual Maria ficou cheia desde o primeiro instante de sua existência. Acolheu Jesus com fé, e com amor o entregou ao mundo.
Esta é também a nossa vocação e a nossa missão, a vocação e a missão da Igreja: acolher Cristo em nossa vida e entregá-lo ao mundo «para que o mundo seja salvo por ele» (Jo 3, 17).
A festa da Imaculada ilumina como um farol o período de Advento, que é um tempo de vigilante e confiada espera do Salvador. Enquanto saímos ao encontro do Deus que vem, contemplemos Maria, que «brilha como sinal de esperança segura e de consolo para o povo de Deus em caminho» (LG, 68). A ela nos dirigimos agora com a oração que recorda o anúncio do anjo: Ave Maria…

terça-feira, 6 de dezembro de 2011

No Natal o Presépio Somos Nós!


Esta é uma época de grande alegria, em que toda a família se reune, para comemorar, o nascimento de Jesus o nosso Salvador!
É um tempo em que apesar do frio, os corações encontram-se bem quentes, onde a solidariedade ocupa a nossa men-te, onde mediante todas as dificuldades, não conseguimos deixar de dar um sorriso, pois há algo diferente no ar, há uma expectativa, há uma esperança!
Desde criança que esta é uma época que deixa o meu coração dilatado! Os meus pais sempre vivenciaram o advento e o dia de natal com grande intensidade, e passaram-me essa vivencia!Sempre me falaram de preparar o caminho interior, para que se podesse reflectir no meu exterior.
Esta é a altura em que somos convidados a retomar o caminho, a retirar as pedras que nos impe-dem de avançar, a preparar-mos o nosso interior para receber o Menino Jesus.
O Natal impulsiona-nos à reconciliação, ao perdão, por isso, neste tempo de preparação, busque-mos dar e pedir perdão, não fiquemos com coisas por resolver, aproveitemos este tempo para fazermos uma grande limpeza, para que os nossos rostos possam estar cheios da luz de Deus e assim possamos viver o dia de Natal com uma alegria completa!!!
Aproveitemos e preparemos a nossa casa para a vinda do Salvador! Na minha casa sempre montei o presépio e a àrvore de Natal com os meus pais, e como era bom aquele momento em família, o que lhe quero dizer é que não perca isso, junte a sua familia e monte o presépio e a àrvore de natal, aproveite para ir relembrando como tudo aconteceu e faça memória junto daqueles que estão ao seu redor, pois Jesus não pode cair no esquecimento, Ele precisa morar nas nossas vidas, a cada minuto, a cada instante... Não façamos deste advento mais um entre muitos, mas façamos dele um momento único, exclusivo nas nossas vidas. E assim como João Baptista anunciou sejamos também anunciadores, e anunciemos essa Boa Nova, de que o Salvador está para chegar!
A todos os nossos amigos, benfeitores e arrecadadores eu quero aproveitar para desejar um Santo e Feliz Natal, que Jesus seja o centro das vossas vidas e dos vossos corações! E aproveito para agra-decer a vossa entrega e o vosso ser anunciador e evangelizador.
Que Deus vos abençoe
Sandra Pinto
Clube da Evangelização

segunda-feira, 5 de dezembro de 2011

Os Dogmas Marianos


Ao longo da história do cristianismo, a Igreja ornou Nossa Senhora com dogmas. Convém conhecer seu conteúdo e significado para a vida cristã. Fazem parte do patrimônio e da doutrina da Igreja. Mostram a importância que a Igreja dá a Maria Santíssima, mãe de Cristo, mãe da Igreja e nossa mãe do céu.

O termo ” dogma” vem do grego. Pode significar “opinião” e “decisão”. Conferindo At. 15, 28, é uma decisão comum sobre uma questão, tomada pelos apóstolos:

“De fato, pareceu ao Espírito santo e a nós…”.

Na linguagem atual do magistério e da teologia, ” dogma” é uma verdade (doutrina) revelada, contida na Bíblia e na Tradição, proposta e imposta pela Igreja para ser aceita e crida por todos os fiéis. Quem não aceitar e crer será herege e estigmatizado com anátema.

A Igreja, mãe e mestra, inspirada e assistida pelo Espírito Santo, propõe e impõe 4 dogmas marianos:

Maternidade Divina,
Virgindade Perpétua,
Imaculada Conceição,
Assunção.
Mãe de Deus

Aos 22 de junho de 431, o Concílio de Éfeso definiu explicitamente a maternidade divina de Nossa Senhora. Ela é Mãe de Deus ( Theotokos).

Jesus, Filho de Virgem Maria, é Filho de Deus. Afirma a unidade da pessoa de Jesus Cristo com dupla natureza: divina: igual a Deus – Pai e a Deus – Espírito Santo; e humana: gerada pela Virgem Maria, igual a nós homens, menos o pecado.

Virgindade Perpétua

Conferindo as Escrituras e lendo os escritos dos Santos Padres, o Concílio de Latrão, no ano 649, preconizou, como verdade de fé a Virgindade Perpétua de Maria. O Papa Martinho I promulgou que Maria concebeu por obra e graça e Espírito Santo, permanecendo VIRGEM intacta antes, durante e após o parto.

Imaculada Conceição

Em 8 de dezembro de 1854, o Papa Pio IX definiu, em sua bula ” Ineffabilis Deus”, que Maria foi concebida sem pecado, na previsão dos méritos de Cristo Jesus, Salvador dos homens.

Assunção de Maria

O Papa Pio XII, em 1° de novembro de 1950, na Constituição Apostólica ” Munificentissimus Deus”, afirmou que Maria, ao terminar o curso terreno de sua vida, foi levada de corpo e alma à glória celeste. A Assunção manifesta o destino do nosso corpo santificado pela graça.

Fonte: Blog Alma Missionária/ADF

Faça a Novena de Natal e envie a seus amigos e familiares


Oração para todos os dias

Senhor, o vosso Natal se aproxima.

Depositamos diante de vossa manjedoura todos os nossos sonhos…, todas as nossas lágrimas e esperanças que estão contidas em nossos corações.

Pedimos, Senhor Jesus, por aqueles que choram… sem ter quem lhes enxugue uma lágrima.

Por aqueles que gemem, sem ter quem escute o seu clamor.

Suplicamos por aqueles que vos buscam sem saber ao certo onde vos encontrar.

Para tantos que gritam – paz!! – quando nada mais podem gritar. Abençoa Jesus Menino cada pessoa, colocando em seu coração um pouco da Luz Eterna, que vieste acender na noite escura de nossa fé. Menino Jesus, hoje é o (…) dia da Novena que estamos fazendo. Acolha o Nosso pedido:

(Dizer a graça que se vai pedir a Jesus)

Senhor, queremos que nosso lar seja um aconchego necessário para Vosso nascimento, entre nós. Por isso Vos pedimos que neste período e nesta Novena possamos nos preparar para assumir convosco nossa missão na Terra. Menino Jesus, fazei brilhar sobre nós a Estrela-Guia. Que possamos enxergar essa Luz que nos conduz à gruta de Belém…

Maria Santíssima, invocamos o vosso Nome e vossa intercessão. Aproximai-nos de vosso Filho Amado. Ensina-nos a amá-Lo, serví-Lo e anunciá-Lo em nosso ambiente. Pedimos também a intercessão de São José, para que estejamos a serviço de Deus neste Mundo. Menino Jesus, acolhei nossos pedidos nessa Novena em preparação ao Vosso Santo Natal.

Amém.

Fonte: O Poder da Oração/ADF

Como viver o Advento


Com o primeiro domingo do Advento, teve início o novo Ano Litúrgico, com a primeira semana do Advento, cujo nome significa "que está por vir". A Igreja convida os fiéis, neste tempo, a viverem a expectativa para o Natal, com esperança e vigilância.

O advento corresponde às quatro semanas que antecedem o Natal e a liturgia deste período tem dois aspectos:
nas duas primeiras semanas, acontece a preparação e reflexão para a segunda vinda gloriosa e definitiva de Jesus,
e nas duas últimas, os fiéis são motivados a uma preparação especial para a celebração do nascimento de Jesus.

O Advento é o tempo de alegria e de satisfação interior, da comoção e da harmonia, da ânsia fundamental, que caracterizam todos aqueles que esperam por algo importante e decisivo, e que têm a certeza de que vai mudar a sua vida.

Neste período a Igreja convida os cristãos a viverem com maior afinco a participação na sua comunidade. É um tempo de estar em comunhão com a Igreja. Cada fiel deve preparar-se para viver este tempo em atitude de contínua oração.

Nestes dias, até mesmo os sinais e enfeites utilizados nas igrejas e nas casas dos fiéis exteriorizam esta expectativa: a montagem da Árvore de Natal, do presépio, na liturgia utiliza-se a cor roxa, não se canta o glória (guardando-o para a Noite de Natal), os instrumentos e as flores são usados com mais moderação, para não antecipar a grande festa do dia 25.

Fonte JAM

sexta-feira, 2 de dezembro de 2011

Indonésia: Extremistas islâmicos ameaçam comunidades cristãs


A comunidade cristã de Bekasi, nos arredores de Jacarta, capital da Indonésia, tem vivido dias de terror perante a ameaça de extremistas islâmicos que pretendem destruir as suas igrejas.

Perante os sinais de que elementos da Frente dos Defensores do Islão iriam mesmo materializar as ameaças de destruição dos templos, forças policiais chamadas ao local decidiram preventivamente encerrar as igrejas.

Segundo fontes locais contactadas pela agência Fides, “trata-se de uma acção organizada”. Os extremistas afirmam que as igrejas, que pertencem a comunidades cristãs evangélicas, foram construídas sem autorização, e portanto, devem ser demolidas.

Nos subúrbios de Jacarta, como Bekasi e Bogor, a tensão inter-religiosa permanece alta por causa da presença de militantes islâmicos que não vêem de bons olhos a presença de comunidades cristãs, acusando-as de proselitismo.

O pe. Benny Susetyo, Secretário da Comissão para o Diálogo Inter-religioso na Conferência Episcopal da Indonésia, comentou à Agência Fides que "o problema principal para a convivência pacífica na sociedade indonésia é a presença de grupos extremistas.

O Governo deveria fazer mais para detê-los, garantindo o Estado de Direito. Espero que a comunidade internacional faça uma advertência ao Governo indonésio, pelo respeito da liberdade religiosa. Existe hoje o problema do fundamentalismo dentro do mundo muçulmano”.

Departamento de Informação da Fundação AIS

5ª aparição: Nossa Senhora revela uma oração especial para Santa Bernadette


Bernadette chegou a Massabielle por volta das 6:30h.

Desta vez, havia cerca de 30 testemunhas. Teve um êxtase de 40 minutos.

Voltando para casa com sua mãe, confiou-lhe que a Senhora “teve a bondade de ensinar-lhe, palavra por palavra, uma oração somente para ela”. Ela a rezou todos os dias de sua vida, sem nunca revelá-la.


6ª aparição: Nossa Senhora pede rezar pelos pecadores. A polícia proibe voltar.

A Dama se apresentou a Bernadette pela manhã, por volta das 7:10h. Cerca de 100 pessoas estavam no local.

A privilegiada vidente escreveu: “Esta rainha misericordiosa me disse também para rezar pela conversão dos pecadores. Ela me repetiu várias vezes essas mesmas palavras”.

Santa Bernadette repetiu que em mais de uma vez Nossa Senhora “disse-me também que não me prometia tornar-me feliz neste mundo, mas no outro”.

A cidade Lourdes entrou em alvoroço. Circulavam as mais dispares interpretações sobre quem ou o quê era essa Dama de branco. Os anti-católicos não suportavam a retomada do fervor católico.

À tarde, o delegado de polícia Dominique Jacomet submeteu a vidente a um grosseiro e ameaçador interrogatório, exigindo-lhe que se retratasse, sob pena de prisão.

Bernadette não se intimidou e respondeu com segurança, desmontando suas ciladas. No fim do interrogatório, o policial a proibiu de voltar à gruta. O pai da vidente cedeu à pressão, e também proibiu.


Quarta-feira 22 de fevereiro: não há aparição

Nesse dia, soldados foram postos para vigiar os movimentos da vidente, prontos a prendê-la caso regressasse à Gruta de Massabielle. O apelo interior foi contudo mais forte, e à tarde ela ali acorreu. Esta sua decisão foi confirmada em confessionário pelo Pe. Pomian.

Mas Nossa Senhora não apareceu, e Bernadette parecia desfeita: “Não sei no que eu faltei a esta Dama”.

Entrementes, no fim do dia a cidade estava agitada contra a interdição policial. O prefeito achou melhor suspender a proibição.

quinta-feira, 1 de dezembro de 2011

A devoção a Santíssima Vigem é o remédio contra os vícios capitais que destroem lares, danificam o mundo

Nos últimos anos notamos e sentimos como se desencadeou um conturbado processo onde fomos assaltados por “novas” tendências, doutrinas, transformações políticas, sociais e econômicas, totalmente contrárias ao Cristianismo (comunismo, teologia da libertação, ideologia gay, materialismo, ateísmo prático, etc).

Podemos dizer, sem medo de errar, que tais anomalias são frutos de uma degradação moral provocada, em especial, através de três piores vícios capitais: o orgulho, a avareza e a impureza.

Santa Catarina de Sena mostra-nos o que o Pai Eterno diz a respeito desses vícios:

“Quero lamentar-me contigo sobre outros defeitos, dos quais ainda não falei. São aqueles vícios, que uma vez te mostrei na figura de colunas: a impureza, o orgulho e a ganância. Com eles, vendem até a graça do Espírito Santo! São vícios interdependentes e têm uma base comum, o egoísmo. Tais colunas, enquanto permanecem de pé, sem serem derrubadas pelas virtudes, tornam a pessoa obstinada nos demais pecados’. Como disse antes, todos os pecados nascem do egoísmo; o mais grave é o orgulho, que destrói a caridade. O orgulho conduz ainda a pessoa à impureza e à ganância. São esses os três laços que ligam os ministros maus ao demônio’.” (Diálogo – Carta n º 24 – ao cura Biringhieri Arzochi)

Quando cedemos aos vícios do orgulho, da avareza ou da impureza vemos que começa a germinar em nós uma incompatibilidade com vários aspectos da Doutrina Católica ou da ordem natural, criada portanto por Deus. Recordemos alguma coisa sobre estes vícios ou pecados capitais:

O Orgulho ou Soberba é o pior de todos os pecados capitais, chegando a ser considerado “a raiz” de todos os outros, pois é a tendência a se endeusar e recusar a desigualdade e a submissão a um superior. É o que levou os anjos maus a se rebelarem contra Deus, e levou Adão e Eva à cederem a tentação do demônio (sereis como deuses, cf. Gn 3,5).

Se a Soberba consiste numa estima excessiva de si, a Avareza é a estima excessiva das riquezas e dos bens deste mundo (que foram feitos apenas pra suprir nossas necessidades e a necessidade dos demais).

A Avareza ou Ganância é a síndrome de acumular bens materiais. É o culto ao dinheiro. Leva a fraudes, roubos, mesquinharia e ambição, a passar por cima dos outros. Em vez de senhores das coisas passamos a ser escravos delas (cf. Mt 6, 23-34). O avarento esquece-se de Deus e do próximo, não se preocupa com a sua Salvação, é dominado pelo espírito materialista.

A Luxúria ou Impureza é a erotização exacerbada e o mau uso da sexualidade, levando-nos ao ato sexual fora do casamento ou contrariando as normas naturais estabelecidas por Deus.

Esse vício provoca pecados contra o sexto e o nono mandamentos em atos (imodéstia e despudor: roupas e atitudes do corpo indecentes e provocadoras, etc.), pensamentos (desejos desordenados) e palavras (piadas de duplo sentido, conversas impudicas, músicas lascivas, etc.).

Podemos entender o motivo de estarmos vivendo num mundo povoado de pessoas doentes, tanto física quanto psicologicamente. O barro se revoltou contra o Oleiro (cf. Is 29,16). As pessoas deixaram de obedecer a Deus, para ser adúlteros e ladrões!

Quanta desunião encontramos nas famílias, vizinhanças, comunidades (sobretudo paroquiais). Já não sabemos mais conviver, pois para saber conversar tem também que saber ouvir. Quantos acidentes de trânsito motivados pela soberba daqueles que pensam que todos devem dar-lhes passagens, mas eles não as devem a ninguém.

Quantas famílias destruídas por estes três vícios: pela arrogância dos conjuges que não se vêem mais como uma só carne; pela soberba dos filhos, que não obedecem aos seus pais; pelo individualismo provocado pelo espírito avarento que conduz a desunião familiar; pela impureza (incitada principalmente pelos programas televisivos como as novelas, filmes depravados, BBB, programas dominicais como o do Faustão, etc.) que conduzem à traição conjugal e a vivência prematura, irresponsável e desordenada da sexualidade pelos jovens.

Para sermos curados destes devastadores vícios só temos um remédio: procurar praticar as virtudes opostas a cada um deles.

Contra a Soberba; a Humildade. Humildade é o reconhecimento de nossas limitações. É a verdade sobre nós mesmos, sabendo que tudo é Dom de Deus.

Contra a Avareza; a Generosidade, que é o desapego dos bens materiais. “Dai e vos será dado” diz Jesus. Deus ama quem tem e é desapegado.

E contra a Impureza; a Castidade, que é o respeito ao nosso corpo e ao corpo do próximo, enxergando-nos como o que verdadeiramente devemos ser: Templos vivos do Espírito Santo, membros do Corpo Místico de Cristo.

Reze por sua saúde física e espiritual. Para tantos males temos um eficaz remédio: a Verdadeira Devoção a Santíssima Virgem Maria ou Santa Escravidão de Amor. Sim, pois, o escopo principal desta devoção é estabelecer nos corações o reino absoluto de Maria Santíssima, a fim de fazer com que nele reine mais perfeitamente Jesus Cristo.

Para tanto devemos dar-nos inteiramente a Maria Santíssima, e a Jesus por meio d’Ela, na qualidade de escravos, sem nada reservarmos para nós; e procurarmos viver habitualmente numa plena e perfeita dependência de nossa Mãe Celeste, a exemplo de seu filho Jesus, que por trinta anos viveu-lhe submisso. Devemos fazer tudo com, por, para e em Maria Santíssima. Ou seja, em poucas palavras: buscar conhecer e imitar as virtudes de Nossa Senhora.

Quem, abaixo de Deus, é mais humilde, casta e generosa que a Santíssima Virgem Maria? Ela é a Escrava do Senhor. Foi exaltada como Rainha do Céu e da terra, porque se rebaixou como escrava. Ela é a Imaculada Conceição, toda pura e toda casta. Ela é a generosidade em pessoa, a dispenseira e Medianeira de todas as graças.

Não pensemos que basta apenas nos consagrarmos a Ela como seus escravos por amor. Devemos principalmente praticar essa escravidão em nosso dia a dia. Assim, no desejo de que todas as almas tenham acesso a este salutar remédio contra os graves males que enfrentamos, é que suplicamos ao Santo Padre a graça da proclamação de um novo Ano Mariano em 2012-2013, comemorando os 300 anos do “Tratado da Verdadeira Devoção à Santíssima Virgem” de São Luis Maria Montfort.

Será um verdadeiro tempo de graça para a Santa Igreja de Deus.

Também seria uma forma de atender aos apelos que a Virgem Santíssima fez em Fátima (1917): “Deus quer estabelecer no mundo a Devoção ao Meu Coração Imaculado. [...] Se fizerdes o que vos digo, muitas almas se salvarão e terão paz.”

Pois como diz o próprio São Luis, “foi por intermédio da Santíssima Virgem Maria que Jesus Cristo veio ao mundo, e é também por meio Dela que Ele deve reinar no mundo. […] Por Ela Jesus Cristo vem a nós, e por Ela devemos ir a Ele.” (T.D.V., n. 1; 85)

[Fonte: Irmã Maria Teresa da Santa Escravidão de Amor - http://www.arcademaria.com/]

quarta-feira, 30 de novembro de 2011

JESUS CRISTO ONTEM E HOJE - BANDA JOTA

Em Nossa Senhora e por Ela é que o Filho de Deus se fez homem para nossa salvação


O mundo era indigno, diz Santo Agostinho, de receber o Filho de Deus diretamente das mãos do Pai. Por isso, Ele o deu a Virgem Maria a fim de que o mundo o recebesse por meio dEla. Em Nossa Senhora e por Ela é que o Filho de Deus se fez homem para nossa salvação.

Deus Espírito Santo formou Jesus Cristo em Maria Santíssima, mas só depois de lhe ter pedido consentimento por intermédio de um dos primeiros ministros da corte celestial.

A conduta das três pessoas da Santíssima Trindade, todos os dias na Igreja, é a mesma que teve na encarnação e primeira vinda de Jesus Cristo, e esse procedimento há de perdurar até a consumação dos séculos, na última vinda de Cristo.

A Virgem Maria é o Santuário, o repouso da Santíssima Trindade em que Deus se encontra mais magnífica e divinamente que em qualquer outro lugar do universo.

Devemos, portanto, exclamar com o apóstolo: os olhos não viram, o ouvido não ouviu, nem o coração do homem compreendeu as belezas, as grandezas e excelências de Nossa Senhora, o milagre dos milagres da graça, da natureza e da glória (ICor 2,9).

Pensamentos de São Luis de Montfort

Fonte: ADF

segunda-feira, 28 de novembro de 2011

BEIJINHOS AOS SACRÁRIOS


Ó querida Mãezinha do Céu, ide dar beijinhos aos sacrários, beijos sem conta, abraços sem conta, mimos sem conta, carícias sem conta, tudo para Jesus sacramentado, tudo para a Santíssima Trindade, tudo para Vós. Multiplicai-os muito, muito e dai-os de um puro e santo amor, dum amor que não possa mais amar, cheios de umas santas saudades por não poder ir eu beijar e abraçar a Jesus sacramentado e à Santíssima Trindade a Vós, minha Mãe querida. Pois não sois Vós a criatura mais amada e mais querida de Jesus? Oh! dai-os então em meu nome, com esse amor com que amais e sois amada. (Autobiografia)
In: facebook

domingo, 27 de novembro de 2011

Reanimar o zelo pela Eucaristia


É preciso reanimar o nosso zelo pela Eucaristia

Temos o privilégio de receber Jesus na Eucaristia. Precisamos de valorizar este tesouro.

Os primeiros cristãos celebravam a Eucaristia até mesmo nos tempos difíceis de perseguição. Faziam isto de forma clandestina, às escondidas. Algumas vezes, a Eucaristia era levada também àqueles que não podiam estar na Celebração Eucarística, porque se encontravam longe e não tinham como chegar, ou estavam na prisão à espera do martírio.

Hoje temos muitos ministros extraordinários da Comunhão Eucarística, que levam Jesus aos hospitais e asilos e vão ao encontro das pessoas que estão impossibilitadas de sair de casa: Ele quer chegar a todos sem excepção.

É preciso responder ao convite de Jesus em cada Eucaristia: “Eis que estou à porta e bato; se alguém ouvir a minha voz e abrir a porta, eu entrarei na sua casa e tomaremos a refeição, eu com ele e ele comigo”. É preciso reanimar o nosso zelo pela Eucaristia. Arrepender-se e voltar-se com ardor, com fé e com gratidão ao tesouro que nos foi dado. Participar na Santa Missa frequentemente ou pelo menos aos domingos, mas que esta participação seja viva e fervorosa, tendo consciência de que se comunga o Corpo, o Sangue, a Alma e a Divindade de Jesus

sábado, 26 de novembro de 2011

Paquistão: proibido escrever o nome Cristo nos torpedos


No Paquistão é proibido escrever o nome “Jesus Cristo” em mensagens de texto do torpedo, enviados através dos telefones celulares.

Foi o que estabeleceu a Autoridade das Telecomunicações do Paquistão com um procedimento que obriga as empresas de telefonia móvel a bloquear as mensagens de texto com algumas palavras consideradas vulgares, obscenas ou prejudiciais ao sentido de pudor. Entres as mais de 1.600 palavras proibidas, assinala à agência Fides uma fonte local, estão também “Jesus Cristo” e “Satanás”.

As empresas telefônicas têm 7 dias de tempo para tornar operativa a disposição, mas as Igrejas cristãs e as organizações para os direitos humanos no Paquistão já anunciaram que recorrerão da decisão.

O Secretário da Comissão para as comunicações sociais da Conferência Episcopal, Padre John Shakir Nadeen anuncia que a “Igreja Católica do Paquistão fará pressão sobre o governo para que elimine o nome de Jesus Cristo da lista proibida. Compreendemos o desejo de tutelar as mentes dos jovens, assinalando uma lista de palavras obscenas. Mas por que incluir o nome de Cristo? O que tem de obsceno? Banir o nome de Cristo é uma violação do nosso direito de evangelizar e fere os sentimentos dos cristãos”.

“Se a proibição fosse confirmada – acrescenta Padre John – seria certamente uma página negra para o país, um ulterior ato de discriminação para com os cristãos e uma violação da Constituição do Paquistão. Esperamos que o governo faça as oportunas correções”, destaca o sacerdote.

Organizações para a defesa dos direitos humanos e das liberdades dos cidadãos, como “Bytes For All”, anunciaram que contestarão o procedimento na Justiça, afirmando que a mesma “viola o direito de liberdade de palavra e expressão”.

Reze pelos cristão que moram no Paquistão, eles sofrem muita perseguição religiosa dos islâmicos radicais. Rádio Vaticano

sexta-feira, 25 de novembro de 2011

Religião: 7



O que o cristão deve levar na mochila


Estamos neste mundo de passagem: a vida é passageira, por isso, buscai as coisas do alto. São João Maria Vianney dizia: “O dia é como uma moeda de ouro que Deus nos dá para comprar a eternidade”. Nós não teremos outra vida para concertar o que fizemos de errado ou para fazer o que deveríamos ter feito ou que tu não deixaste Deus fazer ou que não fizeram por ti. Esta moeda, são as minhas escolhas, atitudes, a minha consciência. Para abraçar aquilo que Jesus já conquistou para mim. São Paulo tem um conselho extraordinário: Se ressuscitastes com Cristo, buscai as coisas do alto, onde Cristo está entronizado à direita de Deus; cuidai das coisas do alto, não do que é da terra. Pois morrestes, e a vossa vida está escondida com Cristo em Deus (Cl 3, 1-3).
Juntai tesouros para o céu, somos peregrinos aqui e na nossa mochila carregamos nossa missão e o verdadeiro sentido do que buscamos. A felicidade plena, a realização total, a plenitude do seu ser não esta aqui, não se realizará aqui. Nós não ouvimos, nem vemos o que Deus tem preparado para aqueles que Ele ama, essa é a nossa esperança eu vou ressuscitar e vamos viver a eternidade. Agora a escolha do que eu serei na eternidade se faz no tempo presente aqui e agora. Nós estamos peregrinando na face da terra, e a nossa vida não pode ser de qualquer jeito e nesta peregrinação Deus deu-nos uma mochila, que nos dar todas as condições para viver neste mundo e para viver a eternidade. O que carregar nesta mochila?
Primeiro item que o cristão leva: O DOM CARISMÁTICO DA FÉ não é a cruz como alguns pensaram que seria a cruz, mas a cruz sem fé não tem sentido. – Quem crer e for batizado será salvo. Quem não crer será condenado. (São Marcos 16,16);
“A fim de que todo o que nele crer tenha vida eterna”. (São João 3,15);
A fé é a certeza daquilo que ainda se espera a demonstração de realidades que não se vêem. Ora, sem a fé é impossível agradar a Deus, pois quem dele se aproxima deve crer que ele existe e recompensa os que o procuram. (Cf. Hb 11,1. 6).
Segunda coisa que se leva na mochila: A CRUZ: Chamou, então, a multidão, juntamente com os discípulos, e disse-lhes: “Se alguém quer vir após mim, renuncie a si mesmo, tome a sua cruz e siga-me”! (São Marcos 8,34).
E quem não toma a sua cruz e não me segue, não é digno de mim. (São Mateus 10,38).
Quem não carrega a sua cruz e não caminha após mim, não pode ser meu discípulo. (São Lucas 14,27)
Carregando a sua cruz, ele saiu para o lugar chamado Calvário (em hebraico: Gólgota). (São João 19,17).
Terceiro item de necessidades básicas: A PALAVRA DE DEUS – Aquele, porém, que guarda a sua palavra, nele o amor de Deus é verdadeiramente perfeito. É assim que conhecemos se estamos nele: (I São João 2,5);
Lâmpada para os meus passos é a tua palavra e luz no meu caminho. (Salmos 119,105).
Quarto item indispensável: OS SACRAMENTOS entre eles os principais Eucaristia e Confissão:
Eu sou o pão vivo que desceu do céu. Quem comer deste pão viverá eternamente. E o pão, que eu hei-de dar, é a minha carne para a salvação do mundo. Então Jesus lhes disse: Em verdade, em verdade vos digo: se não comerdes a carne do Filho do Homem, e não beberdes o seu sangue, não tereis a vida em vós mesmos. Quem come a minha carne e bebe o meu sangue tem a vida eterna; e eu o ressuscitarei no último dia. Pois a minha carne é verdadeiramente uma comida e o meu sangue, verdadeiramente uma bebida. Quem come a minha carne e bebe (Jo 6, 51. 53-56).
Eucaristia celebrada e adorada.
Confissão como um sacramento de cura e libertação: Então, soprou sobre eles e falou: “Recebei o Espírito Santo. A quem perdoardes os pecados, serão perdoados; a quem os retiverdes, ficarão retidos”. (São João 20,22-23).
Quinto item: O LOUVOR e a acção de graças deve ser a linguagem do cristão que caminha para santidade. O louvor abre as portas do sobrenatural:
Todas as manhãs devem apresentar-se para cantar graças e louvores ao SENHOR, e da mesma forma à tarde, (I Crónicas 23,30);
Entoaram um hino de louvor e gratidão ao SENHOR, cantando: “Sim, ele é bom, eterno é seu amor para com Israel”. E todo o povo manifestava em altas vozes sua alegria, louvando o SENHOR, porque estavam sendo colocados os fundamentos da Casa do SENHOR. (Esdras 3,11);
Aleluia! Louvai a Deus no seu santuário, louvai-o no firmamento do seu poder. Louvai-o por suas grandes obras, louvai-o pela sua imensa grandeza. Louvai-o tocando trombetas, louvai-o com harpa e cítara; louvai-o com tímpanos e danças, louvai-o nas cordas e nas flautas. Louvai-o com címbalos sonoros, louvai-o com címbalos retumbantes; todo ser vivo louve o SENHOR. Aleluia! (Sl 150).
Sexto item: A INTIMIDADE COM MARIA, relacionamento de filho. Isso será bem representado pela oração do Terço, meditando os mistérios da Nossa Salvação; “A Sua mãe guardava todas estas coisas no coração” (Lucas 2,19.51).
Jesus, ao ver sua mãe e, ao lado dela, o discípulo que ele amava, disse à mãe: “Mulher, eis o teu filho!” Depois disse ao discípulo: “Eis a tua mãe!” A partir daquela hora, o discípulo acolheu-a em sua casa. (cf. Jo 19,26-27).
Sétimo item no caminho de perfeição: VIDA INTERIOR, oração pessoal, direcção espiritual, onde nós vamos adquirindo sensibilidade para escutar a Deus e principalmente para lhe responder com o testemunho de vida.
Revê a tua missão e a tua mochila
Ide pelo mundo inteiro e a todos pregai o Evangelho. Mc 16,15

Fonte: Jam

quinta-feira, 24 de novembro de 2011

ADVENTO

Zelo pelo Santíssimo Nome de Maria


Os antigos consideravam o nome como uma espécie de símbolo da pessoa e daí também o fato de durante muito tempo se ter desenvolvido muito o uso das iniciais, que é uma espécie de símbolo do nome, que por sua vez é um símbolo da pessoa. Assim, o nome era considerado um símbolo dos aspectos mais profundos da realidade psicológica, moral e espiritual da pessoa.

Por causa disso esse nome de Nossa Senhora, como o Santíssimo nome de Jesus, deve ser considerado simbólico da virtude excelsa de Nossa Senhora, de sua missão,enfim, daquilo que Ela verdadeiramente é.

Dentro desta concepção, é que veneramos o nome de Nossa Senhora, como afirmação da sua glória interior, uma afirmação de seus predicados interiores e uma manifestação de sua essência íntima. O nome de Maria é, então, a manifestação simbólica de tudo o que existe de sagrado em Nossa Senhora. Honrando este nome para celebrar a glória que Nossa Senhora tem, teve e terá, no céu, terra e em todo o universo.

Em relação a sua glória no céu, já tudo foi dito. Ela é a rainha de todos os anjos e santos, colocada acima de todas as criaturas. Ela é colocada incomensuravelmente, incomparavelmente, acima de todas as criaturas. Na ordem da criação, ela é o ponto mais alto para o qual tudo converge. Ela é então nossa medianeira junto a Deus, Nosso Senhor.

A glória que Ela tem por esse fato é simplesmente indizível e deriva da sua condição de Mãe do Salvador, Nosso Senhor Jesus Cristo.

Na terra também Nossa Senhora deve ser glorificada: Glória ao Pai, Filho e Espírito Santo. A resposta é: Como era no princípio, agora e sempre o será, mundo sem fim. Amen.

Assim, o normal é que Nossa Senhora fosse venerada na Terra, e que o nome santíssimo de Nossa Senhora fosse glorificado de modo inexprimível.

Imaginem um mundo – a Cristandade – influenciado pelo espírito do grande apóstolo mariano São Luíz Grignion de Montfort; imaginem que em toda essa Cristandade, os discípulos de São Luiz Grignion de Monfort fossem o sal da terra e dessem realmente o tom da piedade de Nossa Senhora; aí compreenderemos o que seria a glória de Nossa Senhora no mundo. Seria incomparavelmente mais do que é hoje.

Nosso zelo pela glória e nome de Nossa Senhora deve ser como os de filhos na casa de sua mãe.

Como podemos nos sentir bem na Terra, que está sujeita ao reinado de Nossa Senhora, vendo que na Terra são recusadas as honras e as atenções a que Nossa Senhora tem direito?

Isto deve ser para nós uma ocasião contínua muito mais do que de pesar, de indignação enorme, por ver que a Rainha não está reconhecida, por todos, no papel em que Ela deve estar reconhecida.

Transcrito de America Needs Fatima/ADF

terça-feira, 22 de novembro de 2011

Frase do Dia

É a comunhão recebida com amor que deverá penetrar em ti, para te transformar em outro Cristo.

"Preocupa-te não só com a quantidade, mas sobretudo com a intensidade das suas comunhões."

Sto. Agostinho

A história da Medalha Milagrosa – O confessor de Santa Catarina Labouré não a levou a sério no início


O confessor de Santa Catarina a considerava uma visionária pouco digna de ser tomada a sério…

Durante mais de um ano, a religiosa incansavelmente insistiu com o Sacerdote para que fossem cunhadas as medalhas, conforme Nossa Senhora determinara. Mas ele, inflexível, sempre resistia.

Afinal, depois de um longo período de aflição para a santa religiosa, o Pe. Aladel, acompanhando seu superior numa audiência com o Arcebispo de Paris, Mons. De Quélen, aproveitou a oportunidade para expor ao Prelado o que acontecera na Rue Du bac, ocultando porém o nome da vidente. Essa audiência se deu em janeiro de 1832.

O Arcebispo, diferentemente do Pe. Aladel, desde logo viu com bons olhos a iniciativa e incentivou a confecção da medalha. Encorajado, o Pe. Aladel mudou de atitude e, quatro meses depois, em maio, encomendou à Casa Vachette um primeiro lote de 20 mil medalhas.

No momento que iam ser cunhadas as primeiras medalhas, uma terrível epidemia de cólera, proveniente da Europa oriental, atingia Paris.

O morbo se manifestou a 26 de março de 1832 e se estendeu até meados do ano. A 1° de abril, faleceram 79 pessoas; no dia 2 168; no dia seguinte, 216, e assim foram aumentando os óbitos, até atingirem 861 no dia 9.

No total, faleceram 18.400 pessoas, oficialmente; na realidade, esse número foi maior, dado que as estatísticas oficiais e a imprensa diminuíram os números para evitar a intensificação do pânico popular.

No dia 30 de junho, as primeiras 1500 medalhas foram entregues pela Casa Vachette, e as Filhas da Caridade começaram a distribuí-las entre os flagelados. Na mesma hora refluiu a peste e começaram, em série, os prodígios que em poucos anos tornariam a Medalha Milagrosa mundialmente célebre.

O Arcebispo, que recebera logo algumas das primeiras medalhas, alcançou imediatamente uma graça extraordinária por meio delas, e passou a ser entusiasta propagandista e protetor da nova devoção.

Também o Papa Gregório XVI recebeu um lote de medalhas, e passou a distribuí-las a pessoas que o visitavam.

Até 1836, mais de 15 milhões de medalhas tinham sido cunhadas e distribuídas, no mundo inteiro. Em 1842, essa cifra atingia a casa dos 100 milhões. Dos mais remotos países chegavam relatos de graças extraordinárias alcançadas por meio da medalha: curas, conversões, proteção contra perigos iminentes, etc.

Fonte: ADF

Seguidores

Acerca de mim

A minha foto

Alguém que procura um encontro com Jesus.

Arquivo do blogue

A minha Lista de blogues