sexta-feira, 29 de julho de 2011

Oração de Santo Agostinho


Socorrei-me, Senhor e vida minha,

a fim de que não venha a morrer na minha maldade.

Se não me criásseis, não existiria;

criastes-me, passei a existir;

se não me dirigirdes, cessarei de existir.

Não foram encantos ou méritos meus

que vos compeliram a dar-me o ser,

senão a vossa infinita munificência.

Suplico-Vos, pois,

que aquele mesmo amor

que Vos compeliu à minha criação,

possa igualmente compelir-Vos a reger-me;

porquanto, que aproveita haver-Vos

o vosso amor compelido a criar-me,

se eu morrer na minha miséria,

privado da direcção de vossa destra?

Obrigue-Vos, Senhor,

a salvar-me essa mesma clemência

que Vos levou a tirar do nada

o que jazia no nada;

vença-Vos em libertar-me a caridade

que Vos venceu em criar-me,

pois não é hoje menor este vosso atributo

do que era então.

A caridade sois Vós mesmos,

que sempre sois e não mudais.

Não se Vos encurtou a mão,

que não possais salvar-me;

nem se Vos endureceu o ouvido,

que não mais Vos seja dado ouvir-me.

Amém.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Seguidores

Acerca de mim

A minha foto

Alguém que procura um encontro com Jesus.

Arquivo do blogue

A minha Lista de blogues