quinta-feira, 1 de dezembro de 2011

A devoção a Santíssima Vigem é o remédio contra os vícios capitais que destroem lares, danificam o mundo

Nos últimos anos notamos e sentimos como se desencadeou um conturbado processo onde fomos assaltados por “novas” tendências, doutrinas, transformações políticas, sociais e econômicas, totalmente contrárias ao Cristianismo (comunismo, teologia da libertação, ideologia gay, materialismo, ateísmo prático, etc).

Podemos dizer, sem medo de errar, que tais anomalias são frutos de uma degradação moral provocada, em especial, através de três piores vícios capitais: o orgulho, a avareza e a impureza.

Santa Catarina de Sena mostra-nos o que o Pai Eterno diz a respeito desses vícios:

“Quero lamentar-me contigo sobre outros defeitos, dos quais ainda não falei. São aqueles vícios, que uma vez te mostrei na figura de colunas: a impureza, o orgulho e a ganância. Com eles, vendem até a graça do Espírito Santo! São vícios interdependentes e têm uma base comum, o egoísmo. Tais colunas, enquanto permanecem de pé, sem serem derrubadas pelas virtudes, tornam a pessoa obstinada nos demais pecados’. Como disse antes, todos os pecados nascem do egoísmo; o mais grave é o orgulho, que destrói a caridade. O orgulho conduz ainda a pessoa à impureza e à ganância. São esses os três laços que ligam os ministros maus ao demônio’.” (Diálogo – Carta n º 24 – ao cura Biringhieri Arzochi)

Quando cedemos aos vícios do orgulho, da avareza ou da impureza vemos que começa a germinar em nós uma incompatibilidade com vários aspectos da Doutrina Católica ou da ordem natural, criada portanto por Deus. Recordemos alguma coisa sobre estes vícios ou pecados capitais:

O Orgulho ou Soberba é o pior de todos os pecados capitais, chegando a ser considerado “a raiz” de todos os outros, pois é a tendência a se endeusar e recusar a desigualdade e a submissão a um superior. É o que levou os anjos maus a se rebelarem contra Deus, e levou Adão e Eva à cederem a tentação do demônio (sereis como deuses, cf. Gn 3,5).

Se a Soberba consiste numa estima excessiva de si, a Avareza é a estima excessiva das riquezas e dos bens deste mundo (que foram feitos apenas pra suprir nossas necessidades e a necessidade dos demais).

A Avareza ou Ganância é a síndrome de acumular bens materiais. É o culto ao dinheiro. Leva a fraudes, roubos, mesquinharia e ambição, a passar por cima dos outros. Em vez de senhores das coisas passamos a ser escravos delas (cf. Mt 6, 23-34). O avarento esquece-se de Deus e do próximo, não se preocupa com a sua Salvação, é dominado pelo espírito materialista.

A Luxúria ou Impureza é a erotização exacerbada e o mau uso da sexualidade, levando-nos ao ato sexual fora do casamento ou contrariando as normas naturais estabelecidas por Deus.

Esse vício provoca pecados contra o sexto e o nono mandamentos em atos (imodéstia e despudor: roupas e atitudes do corpo indecentes e provocadoras, etc.), pensamentos (desejos desordenados) e palavras (piadas de duplo sentido, conversas impudicas, músicas lascivas, etc.).

Podemos entender o motivo de estarmos vivendo num mundo povoado de pessoas doentes, tanto física quanto psicologicamente. O barro se revoltou contra o Oleiro (cf. Is 29,16). As pessoas deixaram de obedecer a Deus, para ser adúlteros e ladrões!

Quanta desunião encontramos nas famílias, vizinhanças, comunidades (sobretudo paroquiais). Já não sabemos mais conviver, pois para saber conversar tem também que saber ouvir. Quantos acidentes de trânsito motivados pela soberba daqueles que pensam que todos devem dar-lhes passagens, mas eles não as devem a ninguém.

Quantas famílias destruídas por estes três vícios: pela arrogância dos conjuges que não se vêem mais como uma só carne; pela soberba dos filhos, que não obedecem aos seus pais; pelo individualismo provocado pelo espírito avarento que conduz a desunião familiar; pela impureza (incitada principalmente pelos programas televisivos como as novelas, filmes depravados, BBB, programas dominicais como o do Faustão, etc.) que conduzem à traição conjugal e a vivência prematura, irresponsável e desordenada da sexualidade pelos jovens.

Para sermos curados destes devastadores vícios só temos um remédio: procurar praticar as virtudes opostas a cada um deles.

Contra a Soberba; a Humildade. Humildade é o reconhecimento de nossas limitações. É a verdade sobre nós mesmos, sabendo que tudo é Dom de Deus.

Contra a Avareza; a Generosidade, que é o desapego dos bens materiais. “Dai e vos será dado” diz Jesus. Deus ama quem tem e é desapegado.

E contra a Impureza; a Castidade, que é o respeito ao nosso corpo e ao corpo do próximo, enxergando-nos como o que verdadeiramente devemos ser: Templos vivos do Espírito Santo, membros do Corpo Místico de Cristo.

Reze por sua saúde física e espiritual. Para tantos males temos um eficaz remédio: a Verdadeira Devoção a Santíssima Virgem Maria ou Santa Escravidão de Amor. Sim, pois, o escopo principal desta devoção é estabelecer nos corações o reino absoluto de Maria Santíssima, a fim de fazer com que nele reine mais perfeitamente Jesus Cristo.

Para tanto devemos dar-nos inteiramente a Maria Santíssima, e a Jesus por meio d’Ela, na qualidade de escravos, sem nada reservarmos para nós; e procurarmos viver habitualmente numa plena e perfeita dependência de nossa Mãe Celeste, a exemplo de seu filho Jesus, que por trinta anos viveu-lhe submisso. Devemos fazer tudo com, por, para e em Maria Santíssima. Ou seja, em poucas palavras: buscar conhecer e imitar as virtudes de Nossa Senhora.

Quem, abaixo de Deus, é mais humilde, casta e generosa que a Santíssima Virgem Maria? Ela é a Escrava do Senhor. Foi exaltada como Rainha do Céu e da terra, porque se rebaixou como escrava. Ela é a Imaculada Conceição, toda pura e toda casta. Ela é a generosidade em pessoa, a dispenseira e Medianeira de todas as graças.

Não pensemos que basta apenas nos consagrarmos a Ela como seus escravos por amor. Devemos principalmente praticar essa escravidão em nosso dia a dia. Assim, no desejo de que todas as almas tenham acesso a este salutar remédio contra os graves males que enfrentamos, é que suplicamos ao Santo Padre a graça da proclamação de um novo Ano Mariano em 2012-2013, comemorando os 300 anos do “Tratado da Verdadeira Devoção à Santíssima Virgem” de São Luis Maria Montfort.

Será um verdadeiro tempo de graça para a Santa Igreja de Deus.

Também seria uma forma de atender aos apelos que a Virgem Santíssima fez em Fátima (1917): “Deus quer estabelecer no mundo a Devoção ao Meu Coração Imaculado. [...] Se fizerdes o que vos digo, muitas almas se salvarão e terão paz.”

Pois como diz o próprio São Luis, “foi por intermédio da Santíssima Virgem Maria que Jesus Cristo veio ao mundo, e é também por meio Dela que Ele deve reinar no mundo. […] Por Ela Jesus Cristo vem a nós, e por Ela devemos ir a Ele.” (T.D.V., n. 1; 85)

[Fonte: Irmã Maria Teresa da Santa Escravidão de Amor - http://www.arcademaria.com/]

Sem comentários:

Enviar um comentário

Seguidores

Acerca de mim

A minha foto

Alguém que procura um encontro com Jesus.

Arquivo do blogue

A minha Lista de blogues