segunda-feira, 24 de outubro de 2011

Por que sofremos?


E como enfrentar as situações de dor e sofrimento?

Esta é uma pergunta que atormenta a nossa humanidade. Para Victor Frankl, médico e psiquiatra austríaco, fundador da escola da Logoterapia, o sentido da vida humana pode ser encontrado mediante a realização de alguma coisa, mediante um acolhimento à beleza da natureza ou das artes, por meio das quais a pessoa se realiza e se sente plena. Podemos citar o exemplo de pessoas que enfrentam escaladas a altas montanhas e ao atingir o cume, saboreiam uma sensação de plenitude. E por último, mediante o enfrentamento de limitações da vida, as quais abrem um incalculável leque de possibilidades diante de situações limites, como as doenças.
A questão é que temos a tendência de exagerar o lado positivo ou negativo da vida, pois exageramos o tom do prazer ou do desprazer em nossas vivências. Dependendo do grau de importância que atribuímos a esses aspectos (positivos ou negativos), caímos na reclamação, na murmuração da vida e, muitas vezes, tornamo-nos amargos.
O sofrimento, assim como o prazer e a alegria, faz parte da vida. Não podemos fugir das situações de sofrimento, e muito menos impedir que as pessoas que amamos sofram. Portanto, precisamos de aprender a aproveitar as situações que nos fazem sofrer da forma mais positiva possível.
Anselm Grun diz no seu livro “O céu começa em ti” o seguinte: “Onde está o maior dos meus problemas, ali está também a maior de todas as chances, ali está também o meu tesouro. É ali que eu entro em contacto com a minha verdadeira essência. E é ali que alguma coisa poderá ganhar vida e desabrochar”.
Enfrentar ou suportar a dor e o sofrimento é atitude que nos é custosa; não é fácil, requer garra, escolha e perseverança. Enfrentá-los não faz com que saiamos das situações ilesos, sem marcas, mas podemos sair renovados, com um novo sentido para a nossa vida.
Mas como enfrentar as situações de dor e sofrimento? Aí seguem algumas dicas que nos podem ajudar nesses momentos: em primeiro lugar, precisamos de encarar essas situações como parte do ciclo da vida e como ciclo, manter a certeza de que elas irão passar. É importante darmos sentido ao sofrimento que enfrentamos para que ele não passe em vão, e assim não caiamos no perigo de perder a oportunidade de crescer como pessoas.
A segunda dica é buscarmos manter um olhar positivo e a confiança de que vamos superar essa adversidade, mudando o que é possível mudar, aceitando o que não pode ser mudado, mas em tudo e sempre mantendo o olhar de esperança.
A terceira dica é fundamental: precisamos de manter a nossa fé firme em Deus, buscando no Senhor forças e inspiração, buscando n’Ele a graça de visualizarmos novas possibilidades diante da situação que enfrentamos. Ao pedirmos esta graça a Deus, precisamos de dar outro passo.
A quarta dica é: precisamos de nos manter abertos para mudanças, seja de rotina das nossas vidas ou qualquer outra mudança que a situação irá exigir. Por fim, a quinta dica é: não podemos deixar de buscar o apoio das pessoas com as quais convivemos e amamos, familiares, amigos, as pessoas do grupo de oração ou da paróquia na qual participamos, pois este apoio é fonte de força e perseverança.
Precisamos de guardar na nossa mente e no nosso coração que as situações de sofrimento fazem parte da vida, e nelas estão escondidas inúmeras possibilidades, por meio das quais podemos crescer como pessoa, pois como diz Goethe: “Não há nenhuma situação que se não possa enobrecer, o que quer que seja realizando ou suportando”.

“Deus não criou o sofrimento, mas criou-nos a todos como criaturas livres e capazes de amar e sofrer. Para que fôssemos capazes de amar e sofrer dignamente e com valor redentor deu-nos um exemplo, o exemplo de Jesus. Quem aceita livremente o sofrimento, torna-se vencedor dos poderes do Mundo, faz parte do mistério redentor de Deus, entra nele e torna-se capaz de vencer as estruturas do próprio pecado”.

Jesus não elimina o sofrimento, mas ensina-nos a carregá-lo com amor e esperança, para que dê frutos de vida eterna…
Deus nunca nos abandona… Resta-nos confiar nele.
Os cristãos não descobriram o caminho para evitar o sofrimento.
Sofrem como os outros e, às vezes, até mais do que os outros,
mas descobriram que a Cruz de Jesus Cristo é redentora.
Carregar a cruz sozinhos é desesperador…
Mas unidos a Cristo, todo o sofrimento é salvador, inclusive o nosso.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Seguidores

Acerca de mim

A minha foto

Alguém que procura um encontro com Jesus.

Arquivo do blogue

A minha Lista de blogues